Este blog é dedicado a todos os amantes da Natureza e ao público em geral. Mas principalmente aqueles que se interessam pelo fascinante mundo dos Lepidópteros (Borboletas). Além de tudo, este blog é um guia onde o leitor poderá conhecer e identificar as mais variadas espécies de borboletas existentes um pouco por todo o mundo.

domingo, 11 de junho de 2017

PAPILIO AEGEUS - (Donavan, 1805)


. Características: Esta borboleta de grande porte pertence á família dos Papilionídeos (Papilionidae). É uma espécie que apresenta dimorfismo sexual entre os dois sexos, ou seja, existem diferenças acentuadas entre macho e fêmea. Assim o macho possui asas negras, com uma faixa branca transversal nas asas anteriores, sendo que nas posteriores apresenta uma grande área irregular igualmente de cor branca no seu centro, e dois ocelos vermelho-alaranjados na margem interna das asas. A fêmea por sua vez possui a metade das asas anteriores de cor branca com nervuras pretas e duas fileiras de lúnulas vermelho-alaranjadas e outra de cor azul nas asas posteriores, que são levemente onduladas nas margens sem caudas. A face inferior é idêntica á superior. A sua envergadura varia entre os 10 e os 12 cm nos machos e os 12 a 14 cm nas fêmeas.


. Habitat: Pode ser encontrada onde exista a sua planta hospedeira como planícies e terrenos agrícolas, orlas de florestas, pomares, jardins suburbanos etc. Distribui-se por toda a zona oriental da Austrália, estendendo-se até Pápua-Nova Guiné.

. Período de voo: Voa todo o ano em várias gerações.














. Alimentação: A coloração da lagarta nos primeiros instares de vida assemelha-se a excremento de ave, sendo castanho-clara brilhante com manchas brancas e coberta por tubérculos espinhosos. Á medida que vai crescendo vai-se tornando verde e as manchas brancas tornam-se mais estreitas e acastanhadas. Os tubérculos espinhosos também vão-se tornando mais pequenos e finos. Como todos os Papilionídeos a lagarta quando se sente ameaçada projecta um órgão bifurcado por detrás da cabeça de cor vermelho-vivo chamado de osmeterium, que produz um cheiro desagradável para afastar os predadores. Alimenta-se de várias espécies de citrinos da família Rutaceae entre os quais; Citrus limon, Choiya ternata, Fortunella margarita, Poncirus trifoliata, Acronychia oblonga, Eeremocitrus glauca, Geijera parviflora, Halfordia scleroxyla, Microcitrus australasia, Murraya paniculata, Zanthoxylum brachyacanthum, Zieria smithii. Na fase da metamorfose a lagarta tece uma cinta de seda á sua volta onde se prende a um ramo ou folha da planta hospedeira para se transformar em crisálida.











. Observação importante: Existem 9 subespécies do género aegeus.

video





Sem comentários:

Enviar um comentário