Este blog é dedicado a todos os amantes da Natureza e ao público em geral. Mas principalmente aqueles que se interessam pelo fascinante mundo dos Lepidópteros (Borboletas). Além de tudo, este blog é um guia onde o leitor poderá conhecer e identificar as mais variadas espécies de borboletas existentes um pouco por todo o mundo.

domingo, 27 de março de 2016

CITHERONIA REGALIS - (Fabricius, 1793)



. Características: Também chamada de "borboleta régia" ou "borboleta-noz-real", esta borboleta nocturna pertence á família dos Saturnídeos (Saturniidae). As suas asas anteriores são de cor cinza, com nervuras acentuadas vermelho-alaranjadas, e pequenas manchas de cor creme. As posteriores são vermelho-alaranjadas com pequenas manchas cinza muito ténues. Ambos os sexos são idênticos, sendo as fêmeas ligeiramente maiores que os machos. A sua envergadura varia entre os 10 e os 16 cm de comprimento.


. Habitat: Habita as florestas deciduais (ou de folha caduca) do Sul dos Estados Unidos da América.


. Período de voo: Voa desde finais de Maio até inícios de Setembro, numa geração.














. Alimentação: Esta lagarta "gigante" tem uma aparência agressiva e demoníaca, mas na realidade, é inofensiva. Nos primeiros instares de vida, esta é negra com uma pequena mancha acastanhada a meio da zona dorsal. Possui também pequenos espinhos ao longo do corpo, dos quais, nos segmentos junto á cabeça, se apresentam em forma de longos apêndices espinhosos que terminam numa forma arredondada. Mais tarde, muda para uma cor castanho-esverdeada, mantendo os espinhos ramificados, mas sem as suas extremidades junto á cabeça arredondadas. Adquire também umas riscas oblíquas negras e brancas na zona lateral do corpo. Por fim, torna-se azul-esverdeada, ou azul-turquesa, com quatro manchas negras junto á cabeça, e pequenos espinhos negros ao longo do corpo, dos quais, junto á cabeça são maiores, serrilhados e em forma de chifres. São alaranjados e negros nas pontas. A sua cabeça também é alaranjada igualmente como a ponta do último segmento do seu corpo. Alimenta-se de várias árvores da família (Juglandaceae) entre as quais; Juglans nigra, Juglans cinérea, Carya spp., Diospyros virginiana, Liquidambar styraciflua, e Rhus spp. Na fase da metamorfose, esta desce até ao solo para encontrar um local seguro para pupar. Normalmente enterra-se alguns centímetros abaixo da superfície da terra, dentro de uma espécie de "câmara de barro". A pupa permanecerá aí a hibernar durante dois anos se as condições atmosféricas forem bastantes agressivas.




















. Observação importante: Como todos os Saturnídeos, a borboleta desta espécie não se alimenta. Pois possui um aparelho bucal muito rudimentar. Por isso, o seu tempo de vida é relativamente curto, cerca de uma semana. Tempo suficiente para a sua reprodução e continuação da espécie.

(Devido ao aspeto agressivo da lagarta, esta foi-lhe dado o nome de "diabo-com-chifres das nogueiras").



video


video






domingo, 20 de março de 2016

BRAHMAEA WALLICHII - (Gray, 1831)


. Características: Também conhecida por "traça-coruja", esta borboleta nocturna pertence á família Brahmaeidae. O padrão das suas asas possui um estampado maravilhosamente desenhado por linhas e pontos negros, num fundo castanho-esverdeado ou ocre. Possui também junto ás margens internas das asas anteriores, dois grandes ocelos em forma de olhos. O seu corpo é igualmente listrado de negro, e as antenas são pectinadas. Ambos os sexos são idênticos, sendo a fêmea ligeiramente maior que o macho. A sua envergadura varia entre os 13 e os 16 cm de comprimento.


. Habitat: Habita as florestas húmidas do Norte da Índia, Butão, Sul da China, Japão, Taiwan e Myanmar, até perto dos 2000 metros de altitude. Sendo uma espécie nocturna, esta durante o dia repousa no tronco das árvores, utilizando o padrão das suas asas para se camuflar.

. Período de voo: Voa desde Abril até Agosto, em duas gerações.












. Alimentação: As lagartas nos primeiros instares de vida são brancas com segmentos anelares negros. Os segmentos junto á cabeça e á zona anal são amarelos, com longos apêndices negros. Mais tarde tornam-se esverdeadas, com riscas negras diagonais entre os segmentos do corpo, e os apêndices mais desenvolvidos e retorcidos. Exibem também pequenas pintas em forma de olhos junto á cabeça, e manchas em forma de escamas, que lhe dão um aspeto similar ao de uma pequena cobra. Na última muda, estas perdem os apêndices e ficam totalmente lisas. Na fase de pré-pupa, tornam-se amarelo-alaranjado na zona dorsal. Alimentam-se de plantas da família (Oleaceae) como; Osmanthus , Ligustrum e Fraxinus. Na fase da metamorfose, esta desce até ao solo para encontrar um local seguro para pupar. Normalmente a metamorfose ocorre debaixo da turfa ou no subsolo.












. Observação importante: Na fase de lagarta, esta para se defender de possíveis intrusos, adota uma postura de ataque, em que levanta os primeiros pares de patas, encolhe a cabeça para baixo exibindo o seu padrão intimidador, e começa a retorcer os apêndices em várias direções. A borboleta utiliza um método idêntico, quando é perturbada, inclina-se para a frente levantando o abdómen, e abre as asas em leque, exibindo o seu padrão semelhante á cabeça de uma coruja, com dois grandes ocelos em forma de olhos (Como se pode ver no vídeo abaixo).


video