Este blog é dedicado a todos os amantes da Natureza e ao público em geral. Mas principalmente aqueles que se interessam pelo fascinante mundo dos Lepidópteros (Borboletas). Além de tudo, este blog é um guia onde o leitor poderá conhecer e identificar as mais variadas espécies de borboletas existentes um pouco por todo o mundo.

domingo, 23 de junho de 2013

AMAZÓNIA : UM TESOURO GLOBAL


. A Amazónia é uma floresta tropical húmida que cobre a maior parte da Bacia Amazónica da América do Sul. Esta bacia abrange 7 milhões de quilómetros quadrados, dos quais 5 milhões e meio de quilómetros quadrados são cobertos pela floresta tropical.
Esta região inclui territórios a que pertencem 9 nações. A maioria das florestas está contida dentro do Brasil, com 60% da floresta, seguido pelo Perú com 13% e com pequenas quantidades na Colômbia, Venezuela, Equador, Bolívia, Guiana, Suriname e Guiana Francesa. A Amazónia representa mais de metade das florestas tropicais do planeta e tem a maior biodiversidade do que qualquer outra floresta tropical no mundo.
O ponto mais alto situa-se no "Pico da Neblina" a 2993 metros de altitude. A floresta amazónica foi pré-selecionada em 2008 como candidata a uma das 7 Maravilhas da Natureza pela Fundação Sete Maravilhas do Mundo Moderno.
 

. Clima: Atualmente, o clima na floresta amazónica é equatorial, quente e húmido, devido á proximidade á Linha do Equador (contínua á Mata Atlântica), com a temperatura variando pouco durante o ano. As chuvas são abundantes, com a precipitação média anual variando entre 1500 mm a 1700 mm, podendo ultrapassar 3000 mm na foz do Rio Amazonas e no litoral do Amapá. O período chuvoso dura 6 meses.

. Biodiversidade: Uma em cada dez espécies conhecidas no mundo vive na Floresta Amazónica. Esta constitui a maior coleção de plantas vivas e espécies animais no mundo. A região é o lar de cerca de 2,5 milhões de espécies de insetos, dezenas de milhões de plantas e cerca de 2000 aves e mamíferos. Até ao momento, pelo menos 40.000 espécies de plantas, 3000 de peixes, 1294 de aves, 427 de mamíferos, 428 anfíbios e 378 de répteis foram classificados cientificamente na região. Os cientistas descreveram entre 96660 e 128884 espécies de invertebrados só no Brasil.


. Vegetação: A diversidade de espécies de plantas é a mais alta da Terra, sendo que alguns especialistas estimam que um quilómetro quadrado pode conter mais de mil tipos de árvores e milhares de outras espécies de plantas. De acordo com um estudo efetuado em 2001, um quarto de quilómetro quadrado de floresta equatorial suporta mais de 1100 espécies de árvores. Um quilómetro quadrado de floresta amazónica pode conter cerca de 90790 toneladas métricas de plantas vivas. Até ao momento, cerca de 438 mil espécies de plantas de interesse económico e social têm sido registadas na região, com muitas mais ainda a serem descobertas ou catalogadas.
Existem 3 tipos de floresta amazónica; florestas montanhosas andinas, florestas de terra firme e florestas fluviais alagadas. A floresta de terra firme que não difere muito da floresta andina, excepto pela menor densidade, está localizada em planaltos poucos elevados (30 a 200 metros) e apresenta um solo extremamente pobre em nutrientes. Isto forçou uma adaptação das raízes das plantas, que através de uma associação simbiótica com alguns tipos de fungos, passaram a decompor rapidamente a matéria orgânica depositada no solo, a fim de absorver os nutrientes antes deles serem lixiviados.. A floresta fluvial alagada também apresenta algumas adaptações ás condições do ambiente, como raízes respiratórias, que possuem poros que permitem a absorção de oxigénio atmosférico. As aéreas localizadas em terrenos baixos e sujeitos a inundações periódicas por águas brancas ou turvas, provenientes de rios de regiões ricas em matéria orgânica, que percorrem terras arenosas e pobres em minerais e que assumem uma coloração escura devido á matéria orgânica presente, são chamadas de florestas de Igapó. A oscilação do nível das águas pode chegar até aos 10 metros de altura.






. Rio Amazonas

. O Rio Amazonas nasce na Cordilheira dos Andes, no lago Lauri ou Lauricocha, no Perú e desagua no Oceano Atlântico, junto á Ilha do Marajó, no Brasil. Ao longo do seu percurso, ele recebe os nomes Tungurágua, Apurímac, Marañon, Ucayali, Solimões e novamente Amazonas.
Por muito tempo se acreditou ser o Amazonas o rio mais caudaloso do mundo e o segundo em comprimento, porém pesquisas recentes apontam também como o rio mais longo do mundo. É o rio com a maior bacia hidrográfica do mundo, ultrapassando os 7 milhões de quilómetros quadrados, grande parte deles de selva tropical. Em média, na estação seca, a área coberta por água é de cerca de 110.000 quilómetros quadrados, enquanto na estação das chuvas essa área chega a ser de 350.000 quilómetros quadrados. No seu ponto mais largo, atinge na época seca, 11 km de largura, que se transformam em 45 km na estação das chuvas.



- PRESERVAÇÃO -

. Amazon Watch

. Muitas são as organizações mundiais que tentam a todo o custo preservar a floresta amazónica. A Amazon Watch é uma entre várias organizações internacionais sem fins lucrativos, fundada em 1996 para proteger a floresta e promover os direitos dos povos indígenas da Bacia Amazónica.
Como desmatamento global, as emissões de gases de efeito de estufa tem vindo a aumentar na ordem dos 20% a 25% por cento. A Amazon Watch em parceria com outras organizações indígenas, procuram assim tomar medidas e defender a floresta.
Acreditamos que a autodeterminação indígena é fundamental, e ver que o conhecimento indígena, as culturas e as práticas tradicionais contribuem grandemente para uma forma sustentável e equitativa da Terra. Tem de haver um esforço para que os governos, empresas e sociedade civil respeitem os direitos coletivos dos povos indígenas, informando qualquer atividade que afete os seus territórios e recursos.
Cerca de 400 tipos de povos indígenas dependem da floresta amazónica para a sua sobrevivência, física e cultural. No ritmo atual de desmatamento, quase 50% da Amazónia pode ser perdida ou severamente degradada até 2020.






. Nestas imagens o povo indígena luta pela sua sobrevivência, territórios e recursos.



 
video


. Nós podemos ser a última geração que tem a chance de proteger e salvar esta jóia preciosa do património cultural e ecológico do mundo. Uma fonte insubstituível de vida, que ajuda a regular o clima global que é vital para a manutenção e equilíbrio frágil da Terra.

. Para saber mais acerca desta organização, deixo aqui o site oficial: http://amazonwatch.org





domingo, 16 de junho de 2013

HEODES VIRGAUREA - (Linnaeus, 1758)


" Manto de ouro"

. Características: Este pequeno lepidóptero vulgarmente conhecido por "manto de ouro", pertence á família dos Licenídeos (Lycaenidae) e apresenta um dimorfismo sexual. Enquanto os machos são de um belo laranja dourado com o rebordo das asas preto, as fêmeas são mais escuras e apresentam pequenas manchas ou pintas negras na face superior. A face inferior é idêntica em ambos os sexos, de cor castanho-alaranjado com pintas pretas e pequenas manchas brancas nas asas posteriores. A sua envergadura não ultrapassa os 3 cm a 3,5 cm.


. Habitat: Europa e Ásia. Encontra-se em zonas montanhosas, prados floridos húmidos, orlas de bosques, até aos 1500 m de altitude.

. Período de voo: Entre Junho e Agosto, numa só geração.





. Nesta imagem é possível observar as diferenças entre o padrão das asas do macho que está em cima, e a fêmea que se encontra em baixo.


. Alimentação: As lagartas são verdes reboludas e cobertas por minúsculos pelos. Alimentam-se de poligonáceas do género Rumex acetosa, Rumex montanus e Rumex scutatus. As lagartas hibernam e a pupação é feita no solo, onde a crisálida permanece escondida entre a vegetação.





. Observação importante: Outrora frequente, agora está a tornar-se cada vez mais rara. Diferencia-se dos outros Licenídeos pelas manchas brancas na face inferior das asas posteriores.


video

video






domingo, 9 de junho de 2013

CALLOPHRYS RUBI - (Linnaeus, 1758)


. Características: De aspeto inconfundível esta pequena borboleta pertence á família dos Licenídeos (Lycaenidae). A face superior das asas são totalmente castanhas com reflexos alaranjados, enquanto a face inferior é verde metálico, com uma fina linha tracejada de cor branca nas asas posteriores. A cor verde das suas asas fazem-na passar despercebida quando está pousada nas folhas das plantas. Tem uma envergadura que não ultrapassa os 2,5 cm a 3 cm.


. Habitat: Encontra-se na Europa, Ásia e Norte de África. Frequenta lugares secos e quentes, pântanos e matagais. (Esta espécie é autóctone de Portugal).

. Período de voo: De voo curto e rápido, estas borboletas voam de Abril a Junho, em uma ou duas gerações.







. Alimentação: As lagartas são verdes, com riscas laterais brancas e traços dorsais triangulares igualmente brancos. Alimentam-se de vários tipos de plantas entre elas, giestas bravas, silvas, framboesas, arados etc.
A crisálida é terrestre e possui uma forma bastante arredondada. Costuma hibernar escondida entre a vegetação do solo.





. Observação importante: Uma das características desta espécie, é que possui os olhos delimitados por dois traços brancos em forma de parênteses, que lhe dá um aspeto peculiar.




video





domingo, 2 de junho de 2013

ZERYNTHIA POLYXENA - (Denis & Schiffermuller, 1775)


. Características: Pertence á família dos Papilionídeos (Papilionidae), e a cor base é o amarelo-pálido com faixas negras, entremeadas com manchas vermelhas e pequenas pintas azuis nas asas posteriores. Alguns indivíduos apresentam uma ou duas pintas vermelhas nas asas anteriores, o que não é regra geral. No centro das asas posteriores possui também um desenho em forma de grão de café. A face inferior é semelhante á superior, apresentando no entanto manchas vermelhas mais extensas. Os segmentos do corpo da borboleta são se de cores entremeadas entre o preto, branco e o vermelho.


. Habitat: Em toda a Europa, Ásia e Norte de África. Encontra-se em encostas quentes e soalheiras, até aos 2000 m de altitude.

. Período de voo: As borboletas voam de Abril a Maio, numa única geração.








. Alimentação: As lagartas são brancas com pequenas pintas negras e possui grossos espinhos de cor laranja com pontas negras. Alimentam-se de folhas de aristolóquias. A crisálida cingulada fica presa a um ramo, e costuma hibernar.



. Observação importante: Esta espécie é muito semelhante á Zerynthia romina, no entanto, esta apresenta manchas vermelhas nas asas anteriores que na Zerynthia polixena praticamente não existem.
Esta espécie está em declínio, pois a planta de que se alimentam as lagartas escasseia cada vez mais.



video