Este blog é dedicado a todos os amantes da Natureza e ao público em geral. Mas principalmente aqueles que se interessam pelo fascinante mundo dos Lepidópteros (Borboletas). Além de tudo, este blog é um guia onde o leitor poderá conhecer e identificar as mais variadas espécies de borboletas existentes um pouco por todo o mundo.

domingo, 28 de abril de 2013

ARGYNNIS PAPHIA - (Linnaeus,1758)

 
. Características: Pertence ao grande grupo das borboletas malhadas ou nacaradas e ao da família dos Ninfalídeos (Nymphalidae). De tom laranja-acastanhado luminoso, na face superior das asas apresenta numerosas pintas e traços negros. Os machos apresentam três a quatro traços de cor negra nas nervuras das asas anteriores, enquanto que nas fêmeas estes traços não existem, sendo as pintas de maior tamanho. A face inferior é de cor verde-oliva, com duas faixas irregulares de cor branca nas asas posteriores. A sua envergadura varia entre os 6 cm a 7 cm, sendo as fêmeas ligeiramente maiores que os machos.
A fêmea possui duas formas: uma é semelhante á cor dos machos, enquanto a outra é mais escura e de cor esverdeada, aparecendo em zonas montanhosas e húmidas.



. Habitat: Distribui-se por quase toda a Europa, excepto no Sul de Espanha. Também na Ásia.
Habita nas orlas dos bosques, margens de rios, prados soalheiros, e outros lugares onde cresçam violetas, amoreiras e framboesas, até aos 1200 metros de altitude.

. Período de voo: As borboletas voam desde o fim de Junho até meados de Setembro, numa geração.





. Nestas duas imagens é possível observar a variação de cor entre estas duas fêmeas da mesma espécie. A de cima apresenta o colorido comum, enquanto a debaixo apresenta um colorido mais escuro de tons verde-acinzentado, geralmente encontrado em indivíduos que habitam em zonas montanhosas e húmidas.



. Alimentação: As lagartas alimentam-se de violetas (Viola silvestris e Viola palustris) e de framboesas (rubus idaeus). As lagartas quando jovens recolhem-se logo em Setembro para hibernarem. Quando atingem a maturidade são de cor castanho-escuro ou negras, com duas linhas amarelas longitudinais no dorso, que se subdividem em numerosas riscas negras. Possui espinhos compridos, vistosos, ao longo do corpo, sendo os dois primeiros juntos á cabeça mais compridos e de cor preta, enquanto o resto são de cor mais clara.
A crisálida fica suspensa de cabeça para baixo entre a vegetação do solo até eclodir.





  




.Observação importante: Sendo grandes voadoras, esta espécie pode ser facilmente confundida com a Pandoriana pandora, pois são muito semelhantes. Diferencia-se desta, por ter a face inferior das asas anteriores cor de laranja, enquanto que na Pandoriana pandora são rosa-avermelhadas.


video




 

domingo, 14 de abril de 2013

APATURA IRIS - (Linnaus, 1758)


IMPERADOR PÚRPURA



. Características: Este lepidóptero vulgarmente conhecido por Imperador Púrpura, pertence á família dos Ninfalídeos (Nymphalidae). Caracteriza-se por ter asas castanho-escuras, com faixas e manchas brancas, e um pequeno ocelo com orla de cor laranja em cada uma das asas posteriores. Os machos têm um brilho iridescente de cor azul-púrpura na face superior das asas, que nas fêmeas não existe, sendo estas de cor castanha.. A sua envergadura varia entre os 6,5 cm e 7,5 cm.



. Habitat: Europa, Ásia e Norte de África. Em bosques abertos á beira-rio, florestas mistas com árvores de folha caduca e orlas marítimas. Na montanha até aos 1400 m de altitude.


. Período de voo: Os adultos surgem geralmente a meados de Julho, e voam até Agosto numa só geração. É uma espécie que gosta de calor e prefere as horas quentes do dia para voar. De manhã permanece imóvel nos locais onde habitualmente dorme.







. Alimentação: A lagarta é de cor verde, com riscas laterais claras e numerosos pontos pequenos amarelados. Possui ainda dois apêndices ou prolongamentos por cima da cabeça, fazendo lembrar uma lesma. Alimenta-se de salgueiros e vimeiros (salix cáprea, s. aurita e s. cinérea).

Durante o Inverno a lagarta hiberna aderida ao ramo das árvores. A crisálida fica suspensa de cabeça para baixo nas folhas ou ramos das plantas.











. Observação importante: Esta espécie passa grande parte da sua vida na copa das árvores, descendo apenas ao solo para depositar os ovos e alimentar-se. Os machos são muito territoriais, defendendo o seu espaço de outros que invadam o seu território. Ao contrário da maioria das outras borboletas, esta espécie alimenta-se de excrementos e cadáveres de animais, e gosta também de beber em charcos de água.





. Aqui pode-se observar várias borboletas alimentando-se de excrementos de animais.






video




domingo, 7 de abril de 2013

APORIA CRATAEGI - (Linnaeus, 1758)



. Características: Pertencendo á família dos Pierídeos (Pieridae), esta borboleta é uma das maiores da família a que pertence. Quase tão grande como a Pieris brassicae, distingue-se pelas nervuras de cor negra, que contrastam com o fundo branco das asas, e que por vezes são transparentes nas extremidades.
As fêmeas ligeiramente maiores que os machos, possuem as nervuras das asas de cor acastanhada, tendo uma envergadura de 5,5 cm a 6,5 cm.


. Habitat: Encontra-se na Europa, Ásia e Norte de África. Em pradarias húmidas, jardins, várzeas, campos de cultura, até aos 1300 m de altitude.

. Período de voo: Apresenta uma só geração. No Sul da Europa desde Abril a Junho, no Norte da Europa desde Maio a princípios de Julho.



 . Na imagem em baixo pode-se observar o acasalamento desta espécie, estando o macho á esquerda e a fêmea á direita, notando-se a diferença na cor acastanhada das asas da fêmea.



. Grupo de borboletas alimentando-se de sais minerais no solo.


. Alimentação: As lagartas são acinzentadas na parte lateral do corpo e têm ao longo do dorso duas riscas de cor alaranjadas e pretas, cobertas por numerosos pelos brancos.
Tem uma alimentação muito diversa, alimentando-se principalmente de pilriteiro, espinheiro-alvar, vários tipos de árvores de fruto, e ocasionalmente tramazeiras, pados e vidoeiros. As lagartas jovens hibernam, e para tal, tecem uma bolsa com fios de seda nos ramos das plantas onde permanecem agrupadas.
A pupação tem lugar num ramo ou em folhas, onde a crisálida cingulada fica muito bem agarrada.











. Observação importante: Outrora muito frequente, tornando-se por vezes uma praga, hoje quase que desapareceu em certas zonas devido á utilização de novas tecnologias agrícolas.
Na Inglaterra, na Sardenha e Córsega, está dada como extinta. Mas é muito frequente no Norte de África (Marrocos e Argélia).



video