Este blog é dedicado a todos os amantes da Natureza e ao público em geral. Mas principalmente aqueles que se interessam pelo fascinante mundo dos Lepidópteros (Borboletas). Além de tudo, este blog é um guia onde o leitor poderá conhecer e identificar as mais variadas espécies de borboletas existentes um pouco por todo o mundo.

domingo, 28 de fevereiro de 2016

TERINOS TERPANDER ROBERTSIA - (Butler, 1867)



. Características: Esta exótica borboleta pertence á família dos Ninfalídeos (Nymphalidae). A face superior das suas asas são castanho-escuras ou negras, com uma ampla área manchada de azul-violeta, que abrange a zona costal das asas anteriores, estendendo-se quase na totalidade ás asas posteriores, que apresentam duas ou três manchas brancas em forma de lúnulas junto ás margens externas que são dentadas. A face inferior apresenta faixas transversais em forma de estrias, de cor castanho-alaranjado, onde se destacam cinco pintas castanho-avermelhadas nas asas posteriores, num fundo acinzentado. Ambos os sexos são idênticos. A sua envergadura varia entre os 7 e os 8 cm de comprimento.



. Habitat: Habita as florestas tropicais com zonas rochosas, como pedreiras, margens de rios, trilhos e caminhos, até aos 600 metros de altitude. Ocasionalmente pode ser vista nestes locais, pousada no chão húmido a absorver os sais mineralizados, e nestes momentos tende a circular no mesmo local durante algum tempo, abrindo e fechando as asas. Distribui-se pelo Sudeste Asiático.


. Período de voo: Pode ser vista durante quase todo o ano, em várias gerações.




















. Alimentação: A lagarta chegando ao seu último instar de crescimento torna-se esverdeada com listras de cor branco-acinzentado e longos espinhos negros sobre o dorso. Alimenta-se de Rinorea anguífera, Homalium foetidum, Antidesma. Na fase da metamorfose, esta tece um ponto de sedanum ramo ou folha da planta hospedeira, onde se fixa de cabeça para baixo, para aí se transformar em crisálida.




















. Observação importante: Existem 8 subespécies do género Terinos.







domingo, 21 de fevereiro de 2016

PHALANTA PHALANTHA - (Drury, 1773)


. Características: Também vulgarmente conhecida por "borboleta-leopardo", esta borboleta pertence á família dos Ninfalídeos (Nymphalidae). As suas asas são de cor laranja, com várias marcas e pintas negras. A face inferior é igualmente alaranjada, com várias marcas e estrias escuras, e manchas claras junto ás margens externas no caso dos machos. Na estação seca, os machos apresentam uma nova variante, possuindo manchas com reflexos violáceos na face inferior. As fêmeas são idênticas, no entanto, a face inferior é mais pálida e não possuem manchas violáceas. A sua envergadura varia entre os 5,5 e os 6 cm de comprimento.


. Habitat: Sendo uma amante do Sol, esta é vista em planícies, prados floridos, jardins, clareiras e orlas de florestas, até aos 1500 metros de altitude. Tem por hábito sugar os sais mineralizados ao longo das margens dos rios, mas também é atraída por manchas de urina e estrume dos animais. Os machos são territoriais, defendendo o seu espaço de possíveis rivais. Distribui-se pelo Centro e Sul de África, Madagáscar, Índia, Sudeste Asiático, Japão e Austrália.

. Período de voo: Voa durante quase todo o ano em várias gerações.
















. Alimentação: A lagarta depois de passar por vários estágios, e chegando ao seu último instar de crescimento, torna-se verde-amarelada, com numerosos espinhos ramificados de cor negra sobre o corpo. Alimenta-se de várias plantas entre as quais; Aberia , Dovyalis , Flacourtia , oncoba , Scolopia , Trimeria, Xylosma, Ixora, Gymnosporia , Maytenus, petalostigma, Smilax, Viola e Salix. Na fase da metamorfose tece um ponto de seda num ramo ou folha da planta hospedeira, onde se pendura de cabeça para baixo para se transformar em crisálida.


















. Observação importante: Na estação seca, os machos apresentam no lado inferior das asas manchas com reflexos violáceos. Existem cerca de 6 subespécies do género Phalanta.


video






domingo, 14 de fevereiro de 2016

HYPOLIMNAS BOLINA - (Linnaeus, 1758)



. Características: Também vulgarmente conhecida por "borboleta lua-azul", esta borboleta pertence á família dos Ninfalídeos (Nymphalidae). É uma das muitas espécies que possui dimorfismo sexual, ou seja, existem diferenças acentuadas entre os dois sexos. Assim o macho é de cor negra, com uma grande mancha branca-azulada no centro de cada asa e outra mancha mais pequena no ápice das asas anteriores. A fêmea por sua vez, é castanho-escura, com uma fileira de pintas brancas ao longo das asas anteriores e posteriores e junto ás margens externas que são brancas e delineadas a negro. Possui também duas ou três pintas azuladas dissimuladas junto á zona apical das asas anteriores. A face inferior é idêntica em ambos os sexos, sendo castanho-escuro, atravessada por uma faixa branca transversal e as extremidades das asas igualmente brancas. A sua envergadura varia entre os 7,5 cm e os 8,5 cm de comprimento.


. Habitat: Habita as clareiras e orlas de florestas caducifólias, podendo também ser vista a visitar parques e jardins públicos, até aos 1000 metros de altitude. Distribuindo-se pela Índia, Madagáscar, Sudeste Asiático, Austrália e Nova Zelândia.

. Período de voo: Os machos são territoriais, patrulham zonas específicas á procura de fêmeas, defendendo o seu espaço de possíveis rivais. Podem ser vistas durante quase todo o ano, entre os meses de Março até Dezembro, em várias gerações.






















. Alimentação: A lagarta nos últimos instares do seu crescimento é de cor arroxeada, coberta por inúmeros espinhos ramificados de cor amarela. Possui também um par de espinhos de cor negra na cabeça, que é castanho-alaranjada, semelhante a dois "chifres", sendo o último segmento do corpo também castanho-alaranjado. Mais tarde e por último, torna-se negra mantendo a cor amarelo dos espinhos. É uma espécie polífaga, alimenta-se de; Sida rhombifolia, Elatostemma cuneatum, Portulaca oleracea, Laportea interrupta, Triumfetta pentandra,  Asystasia species, Elatostema cuneatum, Pseuderanthemum variabile, Synedrella nodiflora, Urtica dioica e Malva spp.
Na fase da metamorfose, a lagarta tece um pequeno ponto de seda na planta hospedeira, onde se fixa de cabeça para baixo para se transformar em crisálida.



















. Observação importante: A fêmea é mimética de outra espécie do género Euploea, que coabita na mesma área de distribuição. Existem cerca de 20 subespécies do género Hypolimnas.

Nota: (Nas Ilhas Samoa, Upolu e Savai`i, um parasita (provavelmente Wolbachia) tinha sido o responsável pela morte de grande parte dos indivíduos machos da espécie. O problema era tão grave, que em 2001 a população de machos era de apenas 1%. No entanto, em 2007, constatou-se que ao longo de um ano, um período de várias gerações, os machos tinham evoluído de maneira a desenvolver imunidade ao parasita. Verificou-se então, que a população masculina tinha aumentado para cerca de 40%).


video