Este blog é dedicado a todos os amantes da Natureza e ao público em geral. Mas principalmente aqueles que se interessam pelo fascinante mundo dos Lepidópteros (Borboletas). Além de tudo, este blog é um guia onde o leitor poderá conhecer e identificar as mais variadas espécies de borboletas existentes um pouco por todo o mundo.

domingo, 26 de janeiro de 2014

PANAXIA QUADRIPUNCTARIA - (Poda, 1761)



. Características: Pertence á família dos Arctídeos (Arcttiidae) e a sua envergadura varia entre 5 a 5,5 cm. As asas anteriores são negras com riscas amarelo-creme, enquanto as asas posteriores são vermelho-alaranjadas com pequenas manchas pretas.








. Habitat: Encontra-se em zonas montanhosas com solo calcário, encostas rochosas e escarpadas. Apesar de frequentar vales secos e quentes, aparece também em zonas ribeirinhas, como margens de ribeiros e pântanos de densa vegetação. Na Europa Central e Ásia.


. Período de voo: De Junho a Agosto, numa geração.












. Alimentação: As lagartas são negras com riscas em forma de pequenas manchas de cor amarelada nas zonas lateral e dorsal do corpo. Apresenta também numerosos espinhos e pequenas protuberâncias de cor alaranjada. Alimentam-se de lâmio, urtigas e onográceas. Na Primavera alimentam-se também de aveleiras e framboesas. Faz a pupação num casulo enrolado numa folha ou no solo. A lagarta hiberna.








. Observação importante: Durante o dia permanece pousada em locais abrigados e sombrios. Ao menor sinal de perigo levanta voo revelando as asas posteriores luminosas que confundem o inimigo. Outrora frequente, o seu número tem vindo a diminuir.




video




domingo, 19 de janeiro de 2014

DANAUS CHRYSIPPUS - (Linnaeus, 1758)


Monarca-africana



. Características: Esta bonita borboleta conhecida vulgarmente como «Monarca-africana», pertence á família dos Ninfalídeos (Nymphalidae). É uma borboleta comum, de tamanho médio, com uma envergadura de 7 a 8 cm. O corpo é preto com muitas manchas brancas. As asas são de cor laranja-acastanhado, com a metade da zona apical das asas anteriores de cor preta atravessadas por uma faixa de cor brancas. As asas posteriores são igualmente laranja com três pintas pretas no seu centro, e nas suas margens que são igualmente pretas, encerram pequenas manchas semicirculares de cor branca. A face inferior é idêntica á superior, mas de tons menos vivos. Os machos são ligeiramente mais pequenos que as fêmeas.


. Habitat: É uma borboleta comum e é encontrada em vários tipos de habitat, incluindo o deserto (dependendo da disponibilidade de alimento). É principalmente uma borboleta de campo aberto como planícies, pradarias, jardins, estendendo-se até ás zonas montanhosas até aos 2700 metros de altitude.
Está distribuída pelo sul da Europa, Ásia, África e Austrália. Parcialmente migradora.






. Alimentação: As lagartas possuem riscas pretas e brancas, intercaladas com manchas amarelas na parte dorsal e lateral do corpo. Possui ainda três pares de apêndices móveis, semelhantes a tentáculos, que caracteriza esta espécie. Um par logo a seguir á cabeça, o segundo a meio e o terceiro no penúltimo segmento do corpo., todos de cor vermelho-escuro.
Alimentam-se de vários tipos de plantas, mas principalmente de asclépias, cuja seiva contém substâncias tóxicas. Transformam-se em crisálida suspensa de cabeça para baixo presa a uma folha ou ramo.




. Observação importante: Tal como a Danaus plexippus (Monarca-americana) a Danaus chrysippus possui substâncias tóxicas no seu corpo que servem de protecção quando são atacadas por predadores. Assim quando um predador inexperiente ataca uma destas borboletas, este cospe-a fora devido ao fraco sabor e a vómitos provocados por essas substâncias. Enquanto lagarta, alimenta-se de plantas venenosas, cujas substâncias tóxicas vão-se acumulando no seu corpo até passar á fase de insecto adulto.




video






domingo, 5 de janeiro de 2014

DANAUS PLEXIPPUS - (Linnaeus, 1758)


Monarca-americana


. Características: A Danaus plexippus ou «Monarca-americana» é talvez a borboleta mais conhecida da América do Norte. Pertence á família dos Ninfalídeos (Nymphalidae), e possui uma envergadura de asas que varia entre os 8,9 e os 10,2 cm. Possui asas de cor laranja, com nervuras de cor negra e pequenas manchas de cor branca nas suas extremidades. Ambos os sexos são idênticos, no entanto, as fêmeas apresentam as nervuras das asas mais escuras. Possuem uma grande resistência e longevidade, sendo também grandes migradoras.


. Habitat: Devido ás suas migrações, pode ser encontrada em vários tipos de habitat incluindo florestas de coníferas, zonas costeiras, desertos, pradarias, pastagens, jardins, parques, cidades etc, até aos 3400 metros de altitude.
Distribui-se pela América do Norte e Central, Austrália, Nova Zelândia, Antilhas, Ilha do Coco, Filipinas, Ilhas da Madeira e dos Açores, Ilhas Canárias.


. Migração: Conhecida pela suas grandes migrações anuais, estas borboletas no Outono viajam desde o Canadá até aos locais de hibernação na Califórnia e México. Depois de terem sobrevivido ao Inverno agrupadas em grande número sobre as árvores dos bosques de Oyamel e Pino, nos estados do México e Michoacán, em santuários protegidos pelo governo mexicano, as borboletas regressam ao Norte na Primavera seguinte.
Nesta migrações as borboletas monarca percorrem em média uns 4000 a 5000 km para passarem o Inverno onde permanecem aproximadamente 5 meses.





. Alimentação: As lagartas apresentam um colorido composto por vários anéis de cor preto, amarelo-esverdeado e branco. Possuem ainda dois apêndices móveis compridos no tórax e outros dois mais curtos nos últimos segmentos abdominais. Alimentam-se de várias espécies de asclépias (asclepiadaceae). Transformam-se em crisálidas presas a um ramo, suspensas de cabeça para baixo.







. Observação importante: As borboletas desta espécie possuem substâncias venenosas no corpo que utilizam para a defesa contra aves insectívoras, répteis e roedores. Assim quando um destes predadores ingere uma destas borboletas, estas substâncias podem provocar paragem cardíaca. Estas substâncias tóxicas provêm das plantas de que a lagarta se alimenta, e que posteriormente são armazenadas no seu corpo até ao inseto adulto. Nos últimos anos o número de indivíduos tem sofrido uma redução drástica, devido a dois fatores; a perda de habitat como a desflorestação ilegal em zonas de hibernação, e as alterações climáticas como tempestades de Inverno extremas que acabam por dizimar várias populações. Por isso foi declarada espécie protegida e promoveu-se a restauração do seu habitat.



video