Este blog é dedicado a todos os amantes da Natureza e ao público em geral. Mas principalmente aqueles que se interessam pelo fascinante mundo dos Lepidópteros (Borboletas). Além de tudo, este blog é um guia onde o leitor poderá conhecer e identificar as mais variadas espécies de borboletas existentes um pouco por todo o mundo.

domingo, 27 de janeiro de 2013

AGLAIS URTICAE - (Linnaeus, 1758)


. Características: Esta colorida borboleta pertence á família dos ninfalídeos (Nymphalidae), e por vezes é confundida com a Nymphalis Polycloros de aspecto idêntico.
É uma borboleta de tamanho médio, com uma envergadura de 4,5 cm a 5,5 cm. A face superior das asas apresenta uma fila muito nítida de manchas desenhadas nas margens anteriores e posteriores. Estas manchas são em forma de meia-lua, marginadas a preto e preenchidas a azul. Dão á borboleta um aspecto particularmente bonito, muito contrastante com a cor básica que é o laranja. Apresenta ainda três manchas negras na parte posterior das asas. A face inferior é de cor castanho-cinza jaspeada com uma faixa clara.



. Habitat: Por toda a Europa e Ásia. Em pradarias, jardins, orlas de bosques, montanha até aos 3000 metros de altitude.


. Período de voo: Em várias gerações. Aparece no Sul da Europa no início de Março, ao contrário do que sucede no Norte, onde começa a voar no princípio de Maio até ao fim do Verão. As borboletas da última geração hibernam na região onde nasceram, bem ocultas nas fendas das árvores, telhados ou celeiros.












. Alimentação: As lagartas vivem de forma gregária em lugares soalheiros, alimentando-se de Urtigas. São de cor preta, com duas riscas laterais amarelas e cobertas de pequenos espinhos.
A crisálida fica suspensa de cabeça para baixo nos ramos das plantas ou em pedras.

















. Observação importante: É uma das borboletas mais frequentes da Europa Central e uma das primeiras a voar na Primavera.




video







domingo, 20 de janeiro de 2013

INACHIS IO - (Linnaeus, 1758)


PAVÃO DIURNO



. Características: Este ninfalídeo pertence ao grupo de borboletas diurnas mais conhecidas e frequentes da Europa.
O seu aspecto inconfundível, pelos quatro ocelos grandes e coloridos que apresenta na face superior das asas a contrastar com um fundo castanho-avermelhado, dão uma beleza única a este lepidóptero. A face inferior já não é tão atraente, é quase uniformemente escura, com pequenos desenhos pouco aparentes, muito semelhantes ás folhas secas. A envergadura das suas asas varia entre os 5,5 cm e os 6 cm, sendo as fêmeas geralmente maiores.



. Habitat: Em toda a Europa e Ásia, excepto a norte da Escandinávia. Em jardins, parques públicos, prados com flores e clareiras de bosques. Até aos 2500 metros de altitude. De salientar que a frequência desta borboleta depende das condições atmosféricas.


. Período de voo: De Julho a Outubro, em duas gerações. As borboletas nascidas na última geração costuma hibernar em locais protegidos, como nas fendas das árvores, debaixo dos telhados etc.








. Alimentação: As lagartas são de cor negra, com pequenas pintas brancas e longos espinhos pretos. Vivem de forma gregária onde se alimentam principalmente de Urtigas. Quando á falta destas plantas alimentam-se de Lúpulo (Humulus Lupulus).
A crisálida fica suspensa de cabeça para baixo na planta hospedeira ou em pedras.











. Detalhe da mancha ocelar onde são visíveis as escamas multi-coloridas que caracteriza esta espécie.

. Observação importante: Quando fecha as asas a sua camuflagem é perfeita e confunde-se com o meio ambiente. A borboleta desta espécie pode variar muito de tamanho.




video




domingo, 13 de janeiro de 2013

AS BORBOLETAS NA JOALHARIA



. As borboletas são seres vivos que sempre inspiraram a humanidade ao longo dos tempos, quer pela sua beleza como pela sua delicadeza.
Com mais de 200 mil variedades em termos de formas e cores, as borboletas chegaram também á alta joalharia. Cada vez mais presentes nas  colecções de joalharias, inspiraram broches, brincos, anéis, braceletes e colares, sob um novo ponto de vista artístico.



. Na imagem acima pode-se apreciar um broche em forma de borboleta, cujos materiais utilizados foram água marinha rectangular, granadas, citrino, jeans e prata rodinada reciclada.




. Esta peça representa uma fivela de René Lalique, datada de 1903, esmaltada, em ouro, opala e safira.

Obs: As asas da borboleta são articuladas e mexem-se de acordo com o utilizador.





. Colar em ouro com borboleta em safiras e diamantes.





. Pingente em ouro amarelo 18 k, com diamante negro e branco, esmeralda, safira, turmalina rosa, peridoto e ametista.






. Broche em forma de borboleta produzido em ouro branco, diamantes e turmalina Paraíba.






. Bracelete em ouro e diamantes com forma de borboleta.



. Muitas são as mulheres da alta sociedade que têm o prazer de ostentar estas valiosas jóias inspiradas na Natureza, neste caso as borboletas!






domingo, 6 de janeiro de 2013

NYMPHALIS ANTIOPA - (Linnaeus, 1758)


. Características: Esta borboleta pertence á família dos Ninfalídeos (Nymphalidae), e é uma das maiores borboletas diurnas da Europa. A envergadura das suas asas vai dos 6,5 cm até aos 7,5 cm. A cor das asas na face superior é de um castanho-avermelhado ou violácea aveludado, com uma faixa larga de tom creme com várias manchas azuis ao longo da margem das asas. A face inferior é de cor negro-cinza com uma faixa clara no rebordo das asas, muito semelhante ao aspecto dos troncos das árvores, que utiliza como modo de camuflagem.



. Habitat: Vive em cursos de rios, orlas de florestas, bosques húmidos, parques e jardins, até aos 2000 metros de altitude. Em toda a Europa, Ásia e América do Norte. A borboleta costuma hibernar.


. Período de voo: De Março a Outubro numa geração. Em anos favoráveis, as borboletas migradoras chegam isoladamente á Inglaterra, Norte da Alemanha e Noruega. Aí se reproduzem, mas não conseguem resistir ao tempo frio e húmido.









. Alimentação: As lagartas de cor negra apresentam uma fila de manchas castanho-avermelhadas na região dorsal. De ambos os lados dos segmentos do corpo, possuem espinhos longos e resistentes. Vivem sobre árvores de folha caduca como bétulas, salgueiros, vidoeiros, choupos e ulmeiros, onde devoram as suas folhas. Preferem as árvores pequenas e de médio porte. A crisálida fica suspensa nas rochas ou entre a vegetação, muito longe da planta hospedeira.










. Observação importante: Na Primavera os indivíduos que hibernaram apresentam uma faixa mais clara, que resulta do desbotamento ocorrido no período de hibernação e não de uma forma própria do Outono ou da Primavera.




video