Este blog é dedicado a todos os amantes da Natureza e ao público em geral. Mas principalmente aqueles que se interessam pelo fascinante mundo dos Lepidópteros (Borboletas). Além de tudo, este blog é um guia onde o leitor poderá conhecer e identificar as mais variadas espécies de borboletas existentes um pouco por todo o mundo.

domingo, 14 de outubro de 2012

BORBOLETA-DA-COUVE


PIERIS BRASSICAE (Linnaeus, 1758)

. Características: A borboleta da couve (Pieris brassicae) é um insecto que pertence á família Pieridae. As asas atingem uma envergadura de 4 a 6,5 cm, sendo o maior representante da família a que pertence, podendo mesmo ser facilmente reconhecida durante o voo. As fêmeas possuem uma mancha e duas pintas negras nas asas anteriores, enquanto os machos não possuem pintas. Nas fêmeas fêmeas a face inferior das asas é amarelada, sobressaindo mais na 2ª geração.

Habitat: É uma espécie que se encontra distribuída por quase toda a parte. Nos campos, em grandes cidades, jardins, hortas etc. Muitas alimentam-se nos campos cultivados, sendo por isso, consideradas verdadeiras pragas pelos agricultores que se dedicam á cultura das várias espécies de brássicas como a couve.

Zona de multiplicação: Encontra-se na Europa até 62º graus latitude. Aparece raramente no Norte e com frequência no Sul. Nas montanhas até aos 2000 mil metros de altitude.

Frequência: É  considerada uma das borboletas mais abundante, aparecendo em grande quantidade na maior parte dos anos. Nessa altura milhares de borboletas da couve invadem os campos da Europa e lançam-se em grandes grupos em direção ao sul, até ao Norte d África, onde vivem outras populações. A primeira geração origina poucos exemplares. O aumento de borboletas existentes resulta da 2ª e 3ª gerações. Nos anos de maior proliferação, as lagartas são frequentemente atacadas pelo parasita Apanteles glomeratus. A depredação é por vezes tão intensa que a população local se extingue por completo. Contudo, restablece-se rápidamente com a chegada de novas borboletas imigrantes.

Período de voo: Reproduz-se em duas ou gerações. A 1ª voa de meados de Abril até princípios de Junho. A 2ª geração de meio de Julho até ao fim de Agosto. A 3º de Setembro a Outubro.


                                . Macho de Pieris brassicae.


                                . Fêmea de Pieris brassicae.

Período larvar: A 1ª geração de Agosto a Outubro, 2ª de Junho a Julho e a 3ª em Setembro. A crisálida hiberna na 3ª geração.


                        . Crisálida cingulada. 


                  . Lagartas devorando as folhas de uma couve.

Alimentação: Esta espécie prefere as couves. Por isso, tem-se tentado exterminar esta espécie daninha com produtos químicos. Mas  investigações desenvolvidas nesse campo demonstraram que ela resiste cada vez mais aos venenos. Por causa deste «massacre» contra esta espécie, esta desloca-se por um curto espaço de tempo para regiões mais elevadas. Apesar de tudo continua a ser uma espécie muito abundante. Alimenta-se também de crucíferas, como a mostarda-dos-campos e saramago.

Generalidades: Por ser migradora esta espécie outrora não aparecia com tanta frequência, pois não existiam as extensas culturas que se encontram hoje em dia. Começaram a multiplicar-se em quantidade a partir da altura em que o homem aumentou a área ocupadas por hortas. Estava assim criado «o paraíso» das lagartas desta espécie que se tornou uma praga. É uma das poucas espécies cuja sobrevivência ainda não preocupa o homem, não só utiliza as culturas para se multiplicar em massa como também o seu ciclo de vida tem duração de apenas algumas semanas.




Sem comentários:

Enviar um comentário