Este blog é dedicado a todos os amantes da Natureza e ao público em geral. Mas principalmente aqueles que se interessam pelo fascinante mundo dos Lepidópteros (Borboletas). Além de tudo, este blog é um guia onde o leitor poderá conhecer e identificar as mais variadas espécies de borboletas existentes um pouco por todo o mundo.

domingo, 30 de abril de 2017

COLOBURA DIRCE- (Linnaeus, 1758)


. Características: Também conhecida por "Zebra", esta borboleta diurna pertence á família dos Ninfalídeos (Nymphalidae). As suas asas são castanho-escuras, atravessadas na diagonal por uma faixa de cor branca nas asas anteriores, sendo a zona apical negra. Na face inferior apresenta um padrão "zebrado" com listras e faixas cruzadas de preto e branco, daí o seu nome comum. Quando pousada de asas fechadas em zonas rochosas ou em cascalho, a sua camuflagem torna-se eficaz. A fêmea é idêntica ao macho, e a sua envergadura varia entre os 5,5 e os 6 cm de comprimento.


. Habitat: Habita as florestas tropicais e subtropicais da América Central e do Sul até aos 14090 metros de altitude, sendo encontrada com mais facilidade até aos 800 metros. Tem por hábito pousar em troncos de árvores de cabeça para baixo, a uma altura de cerca de 2 metros. Quando se encontra incomodada corre para o lado oposto, sem levantar voo, voltando ao posto inicial quando o perigo passa. É encontrada isoladamente ou em pequenos grupos de dois ou três indivíduos. Alimenta-se da seiva das árvores, frutos maduros ou putrefactos e excrementos de animais,

. Período de voo: (..................?)








. Alimentação: A lagarta é negra, com pequenas manchas branco-amareladas na zona lateral do corpo, e é coberta por numerosos espinhos ramificados amarelos, sendo esbranquiçados junto á cabeça. Alimenta-se das folhas de várias espécies de árvores do género Cecropia. Na fase da metamorfose a lagarta tece um ponto de seda num ramo ou folha da planta hopedeira, onde se fixa de cabeça para baixo para se transformar em crisálida, que por curiosidade tem um aspecto que se assemelha a um galho seco.












. Observação importante: Existem só duas espécies do género Colobura.


video





segunda-feira, 24 de abril de 2017

ACTIAS DUBERNARDI - (Oberthur, 1897)


. Características: Também conhecida por "Borboleta-Lua chinesa" esta exótica e elegante borboleta pertence á família dos Saturnídeos (Saturniidae). É uma espécie que possui dimorfismo sexual, ou seja, existem diferenças acentuadas entre macho e fêmea. Assim o macho possui asas longas e estreitas de cor amarelo e rosa, sendo que a cor rosa vai desde a zona central até ás extremidades das asas. A margem externa das asas anteriores são contornadas por uma linha grossa de cor acastanhada, onde por sua vez, exibem uma pequena mancha em forma de meia-lua. As posteriores terminam em duas longas caudas. A fêmea por sua vez possui as asas um pouco mais largas, sendo estas de cor branco-pálido esverdeado, com longas caudas de cor rosa nas asas posteriores. A fêmea tem antenas filiformes enquanto as do macho são plumosas. A sua envergadura varia entre os 9 e os 10 cm de comprimento. 


. Habitat: Habita as zonas montanhosas frias e húmidas do Sul da China, podendo também ser encontrada nos países vizinhos como Laos ou Vietname.

. Período de voo: ...............? (Várias gerações)










. Alimentação: A lagarta nos primeiros instares é de cor castanho-avermelhada, com pintas pretas e numerosos tubérculos, dos quais, saem finos e longos pelos. Á medida que vai crescendo, vai-se tornando verde com minúsculas pintas brancas, apresentando no segundo e terceiro segmento a seguir á cabeça uma mancha preta. Os tubérculos sobre o corpo adquirem um tom prateado ou dourado, dos quais saem finos e longos pelos. Alimenta-se das agulhas dos pinheiros entre os quais; Pinus massonia, Pinus sylvestris, Pinus nigra. Na fase da metamorfose a lagarta tece um casulo de seda entre as agulhas dos pinheiros, onde permanecerá algumas semanas antes de emergir o insecto adulto, dependendo da temperatura e humidade. A última geração costuma hibernar no estado de pupa.









. Observação importante: Como todos os Saturnídeos, esta espécie também não se alimenta em estado adulto, pois o seu aparelho bucal é demasiado rudimentar. Assim a borboleta vai gastando as reservas de energia acumuladas no seu corpo enquanto era lagarta. Existem cerca de 38 espécies do género Actias.







domingo, 9 de abril de 2017

CITHERONIA VOGLERI - (Weyenberg, 1881)


. Características: Esta borboleta nocturna pertence á família dos Saturnídeos (Saturniidae). As suas asas tem como cor de fundo preto-acastanhado, listrado por manchas ovais de cor branca. Nas asas posteriores as manchas são amarelo-creme, com uma mancha central de cor laranja. Na face inferior das asas a coloração e o padrão são iguais, mas mais vivos. No corpo da borboleta o tórax é negro, com duas linhas verticais brancas, sendo o abdómen listrado de negro e laranja. A face lateral do abdómen é amarelo com manchas pretas. A fêmea é idêntica ao macho, no entanto, é muito maior que este. A sua envergadura média varia entre os 9 e os 11 cm de comprimento.


. Habitat: Habita zonas arborizadas, como clareiras e orlas de florestas, onde cresça a sua planta hospedeira. Distribui-se por toda a América do Sul, até aos 2700 metros de altitude.

. Período de voo: (..............?)
O tempo de vida da borboleta é relativamente curto, cerca de 10 a 12 dias, por isso o seu único objectivo é encontrar parceiro e reproduzir-se para a continuação da espécie.




. Alimentação: A lagarta assemelha-se a um pequeno galho seco. É de cor cinza-acastanhada, com minúsculas protuberâncias granuladas sobre a pele. Possui ainda quatro tubérculos pontiagudos nos primeiros segmentos do corpo a seguir á cabeça, e outro situado no último segmento. Alimenta-se de várias espécies de Pyrocantha, que são arbustos que mais tarde formam árvores de pequeno porte da família Rosaceae. Na fase da metamorfose a lagarta em vez de fazer um casulo em seda como outras espécies de saturnídeos, desce até ao solo para procurar um local adequado para a pupação. Normalmente enterra-se no subsolo, onde constrói uma espécie de câmara, na qual a pupa permanecerá até emergir o insecto adulto á superfície.




. Observação importante: Como todos os Saturnídeos, esta espécie também não se alimenta em estado adulto, pois o seu aparelho bucal é demasiado rudimentar. Assim a borboleta vai gastando as reservas de energia acumuladas no seu corpo enquanto era lagarta. Existem cerca de 21 espécies do género Citheronia.






domingo, 2 de abril de 2017

GRAPHIUM ANTIPHATES - (Cramer, 1775)


. Características: É um membro da família dos Papilionídeos (Papilionidae). As suas asas são brancas, com seis listras negras verticais nas asas anteriores, desde a célula discal até ao ápice. As asas posteriores são brancas com margens dentadas tracejadas de preto, possuindo duas longas caudas igualmente pretas. A face inferior é idêntica no padrão, mas a sua cor é verde e preta, com manchas amarelo-alaranjadas nas asas posteriores. A fêmea é idêntica ao macho. A sua envergadura varia entre os 7 e os 8 cm de comprimento.


. Habitat: Habita a orla das florestas tropicais do Sul da Índia, Sudeste Asiático, incluindo o Sul da China. Pode ser vista em trilhos e caminhos em terra, margens de rios, onde é comum vê-la em grupos pousada no solo húmido absorvendo os sais minerais.

. Período de voo: Voa ao longo de todo o ano em várias gerações.











. Alimentação: A lagarta nos primeiros instares é branca-esverdeada, com listras anelares de cor negra entre os segmentos do corpo, apresentando três pequenos espinhos de cada lado do dorso logo a seguir á cabeça, e dois apêndices no último segmento do corpo. Á medida que vai crescendo vai perdendo os espinhos e as listras negras, para dar lugar a listras esverdeadas num fundo esbranquiçado, apresentado duas manchas verdes nos primeiros segmentos junto á cabeça. Quando se aproxima a fase de pré-pupa, esta torna-se amarelo-dourada. Como todos os Papilionídeos a lagarta possui um órgão bifurcado atrás da cabeça designado de osmeterium, que projecta para fora do corpo sempre que se sente ameaçada. Alimenta-se de plantas da família Annonaceae e Magnoliaceaeentre as quais; Desmos cochinchinensis, Desmos lawii, Melodorum siamensis, Uvaria curtisii, Uvaria grandiflora, Uvaria microcarpa, Michelia champaca. Na fase da metamorfose tece uma cinta de seda á sua volta, onde se prende a um ramo para se transformar em crisálida.










. Observação importante: Existem cerca de 12 subespécies do género Antiphates. 

video