Este blog é dedicado a todos os amantes da Natureza e ao público em geral. Mas principalmente aqueles que se interessam pelo fascinante mundo dos Lepidópteros (Borboletas). Além de tudo, este blog é um guia onde o leitor poderá conhecer e identificar as mais variadas espécies de borboletas existentes um pouco por todo o mundo.

domingo, 15 de outubro de 2017

RHETUS ARCIUS - (Linnaeus, 1763)


. Características: Esta pequena borboleta também conhecida vulgarmente por "cauda-de-espada" ou "cauda-longa-de-metal" pertence á família Riodinidae. Caracteriza-se por possuir um corpo grosso e robusto, sendo negro com a zona do tórax de cor azul metálico no macho, e a parte lateral do abdómen com uma faixa laranja. As suas asas tem como cor de fundo o negro, com duas faixas transversais brancas que vão das asas anteriores estendendo-se ás posteriores, onde o branco dá lugar  ao azul brilhante, que termina em duas longas caudas azuis iridescentes com duas pequenas manchas cor-de-rosa vivo. A face inferior é idêntica á superior mas mais pálida. A fêmea é idêntica ao macho, no entanto, o azul iridescente é mais pálido ou inexistente nas asas posteriores. A sua envergadura varia entre os 3 e os 3,5 cm de comprimento.


. Habitat: Pode ser encontrada ao longo de cursos de água como rios e riachos, habitats húmidos de florestas até aos 1200 metros de altitude. Os adultos alimentam-se do néctar de certas flores mas também costumam pousar no solo húmido para absorver os sais minerais. Distribui-se desde o México, América Central e parte da América do Sul.

. Período de voo: Ao longo do ano em várias gerações.








. Alimentação: Tanto a lagarta como a crisálida ou o adulto, têm um aspecto muito peculiar. A lagarta neste caso é de cor castanho-púrpura, exibindo uma fileira dupla de pequenos tubérculos vermelhos sobre o dorso e outra de cada lado do corpo, dos quais saem longos tufos de pelos ou cerdas de cor branca, sendo que junto á cabeça estas são de cor preta. Possui também duas marcas brancas e duas pretas a meio da zona dorsal. Alimenta-se de plantas como Terminalia amazonica da família (Combretaceae) e de Mabea occidentalis da família (Euphorbiaceae). Na fase da metamorfose a lagarta tece um tapete de seda sobre uma folha da planta hospedeira onde se fixa para se transformar em crisálida.









. Observação importante: Existem 3 espécies e 8 subespécies do género Rhetus.






domingo, 8 de outubro de 2017

ANARTIA JATROPHAE - (Linnaeus, 1763)


. Características: Também conhecida vulgarmente por "pavão-branco" esta borboleta pertence á família dos Ninfalídeos (Nymphalidae). Possui asas de contornos serrilhados, com duas projecções semelhantes a duas pequenas caudas nas asas posteriores. A cor de fundo das asas é o branco, com as extremidades delineadas por linhas onduladas de cor acinzentada e castanho-alaranjado. Possui também três pintas negras, uma nas asas anteriores e duas nas posteriores. A face inferior é idêntica á superior. A fêmea também é idêntica ao macho, mas ligeiramente maior. A sua envergadura varia entre os 5 e os 7 cm de comprimento.


. Habitat: É uma espécie que gosta  de locais frescos e húmidos e pode ser encontrada ao longo das margens dos rios, Pântanos, orlas de florestas, campos e jardins até aos 1500 metros de altitude. Distribui-se desde o Sul dos Estados Unidos, passando pelo México na América Central e estendendo-se até grande parte da América do Sul. 

. Período de voo: Voa ao longo do ano em várias gerações.









. Alimentação: A lagarta é negra com minúsculos pontos brancos e numerosos espinhos alaranjados espinhos alaranjados de pontas pretas. Exibe também dois espinhos prolongados sobre a cabeça semelhantes a duas pequenas antenas. A lagarta é polífaga e alimenta-se de várias espécies de plantas entre as quais; Lantana, Ruellia, Bacopa, Blechum, Lippia, Lindernia, Melissa. Na fase da metamorfose esta tece um ponto de seda numa folha, ramo ou pedra, onde se pendura de cabeça para baixo para se transformar em crisálida.












. Observação importante: Esta espécie apresenta variação sazonal, ou seja, na estação seca a espécie é mais pálida e maior em tamanho, na estação chuvosa, a sua forma é menor e mais escura. Existem 7 subespécies do género Anartia.






domingo, 1 de outubro de 2017

DIONE JUNO - (Cramer, 1779)


. Características: Esta borboleta diurna pertence á família dos Ninfalídeos (Nymphalidae). Possui asas longas e estreitas, tendo como cor de fundo o laranja, onde as suas margens são largamente contornadas a castanho-escuro. A face inferior das asas são de tons acastanhados com numerosas manchas de cor branco-prateado. Ambos os sexos são idênticos e a sua envergadura varia entre os 6 e os 7,5 cm de comprimento.



. Habitat: Pode ser encontrada em clareiras e orlas de florestas, bem como encostas rochosas e margens de rios onde por vezes os machos são vistos pousados em solo húmido a absorverem os sais mineralizados. Distribui-se desde o Sul do México até á América do Sul, até aos 1200 metros de altitude.

. Período de voo: A o longo de quase todo o ano em várias gerações.











. Alimentação: As lagartas são gregárias e vivem em comunidade, podendo tornar-se uma praga para as plantas da espécie do maracujá. Alimentam-se de plantas da família Passifloraceae entre as quais; Passiflora alata, Passiflora foetida, P. vitifolia, P. edulis. São de cor castanho-escuro com pintas cor de laranja e minúsculas pintas brancas. Exibem também numerosos espinhos curtos e finos de cor preta sobre o corpo. Na fase da metamorfose a lagarta tece um ponto de seda num ramo, folha ou rebordo de um muro, onde se fixa de cabeça para baixo para se transformar em crisálida.












. Observação importante: As borboletas Dione juno podem ser confundidas com duas outras espécies da mesma subfamília que são a Dryas iulia e a Agraulis vanillae.

Existem 5 subespécies do género Dione juno.