Este blog é dedicado a todos os amantes da Natureza e ao público em geral. Mas principalmente aqueles que se interessam pelo fascinante mundo dos Lepidópteros (Borboletas). Além de tudo, este blog é um guia onde o leitor poderá conhecer e identificar as mais variadas espécies de borboletas existentes um pouco por todo o mundo.

domingo, 10 de dezembro de 2017

IXIAS PYRENE - (Linnaeus, 1764)


. Características: Esta borboleta pertence á família dos Pierídeos (Pieridae), e possui dimorfismo sexual, ou seja, existem diferenças acentuadas entre os dois sexos. Assim, o macho desta espécie possui asas de cor branco-creme, com uma larga faixa castanho-negro que abrange a zona apical e subapical das asas anteriores, estendendo-se até posteriores. Possui também uma grande mancha laranja na zona subapical das asas anteriores que a caracteriza. A face inferior é amarela e possui pequenas marcas ou pintas acastanhadas que variam em certos indivíduos. A fêmea por sua vez não possui a mancha laranja nas asas anteriores, mas sim uma faixa mais estreita de cor branco-amarelado. A sua envergadura varia entre os 5 e os 5,5 cm de comprimento.


. Habitat: Habita as florestas tropicais húmidas, bem como clareiras e savanas, até aos 800 metros de altitude. Por vezes os machos são vistos pousados em grupos em lugares húmidos a absorver os sais minerais do solo. Distribui-se desde a Índia e Sudeste Asiático.

. Período de voo: Ao longo do ano em várias gerações.















. Alimentação: A lagarta é verde e apresenta uma linha de cor laranja-acastanhada na zona lateral do corpo. Alimenta-se de plantas da família Capparaceae, entre elas estão; Capparis sepiaria, C. kikuehii, C. cantoniensis, Crateva religiosa. Na fase da metamorfose a lagarta tece uma cinta de seda á sua volta onde se prende a um ramo ou folha da planta hospedeira para se transformar em crisálida.









. Observação importante: Existem 10 espécies do género Ixias.






domingo, 3 de dezembro de 2017

YPTHIMA PANDOCUS CORTICARIA - (Butler, 1879)


Características: Vulgarmente conhecida por «três-aneis comum» esta pequena borboleta pertence á família dos Ninfalídeos (Nymphalidae). As suas asas são castanho-acinzentadas com um grande ocelo negro de pupila dupla de cor azul-clara com anel amarelo na zona subapical das asas anteriores. As posteriores possuem três ocelos idênticos de menor tamanho. A face inferior é fortemente estreada com três ocelos iguais aos da face superior. Ambos os sexos são idênticos e a sua envergadura varia entre os 4 e os 4,5 cm de comprimento.


. Habitat: É uma espécie bastante comum podendo ser encontrada em vários tipos de habitat, desde zonas baixas até zonas mais montanhosas, sendo estas abertas e arborizadas, como campos e trilhos, clareiras e orlas de florestas, pastagens, jardins e áreas urbanizadas. Geralmente é encontrada a esvoaçar perto do chão ou pousada na vegetação com as asas abertas apanhar banhos de sol. Distribui-se pelo Sudeste Asiático entre países como a Tailândia, Malásia, Singapura, Sumatra, Java, Bornéu, Filipinas etc.

. Período de voo: Ao longo do ano em várias gerações.


















. Alimentação: A lagarta pode  apresentar duas formas, uma de cor verde clara e outra acastanhada, apresentando também dois curtos apêndices no último segmento do corpo semelhantes a duas caudas. Alimenta-se de Miscanthus sinensis, planta da família Poaceae, entre outras. Na fase da metamorfose a lagarta tece um ponto de seda num caule ou folha da planta hospedeira, onde se fixa de cabeça para baixo para se transformar em crisálida.




















. Observação importante: É um grupo muito numeroso existindo cerca de 113 espécies do género Ypthima.






domingo, 26 de novembro de 2017

DELIAS AGANIPPE - (Donovan, 1805)


. Características: Esta colorida borboleta pertence á família Pieridae. A face superior das suas asas são de cor branco-acinzentado com as margens manchadas em tons axadrezados de negro e branco. A face inferior é de tons mais garridos, apresentando manchas negras e brancas, amarelas e vermelho-vivo. A fêmea distingue-se do macho por possuir mais manchas negras nas margens das asas da face superior. A sua envergadura varia entre os 6 e os 7 cm de comprimento.


. Habitat: É uma espécie nativa da Austrália. Pode ser encontrada em vários tipos de habitats onde haja a sua planta hospedeira, como clareiras e orlas de floresta, terrenos áridos com vegetação rasteira etc. Os machos patrulham as áreas sobrevoando a copa das árvores em busca das fêmeas recém eclodidas para acasalar.

. Período de voo: Ao longo de quase todo o ano entre Setembro e Maio, em duas ou mais gerações. 













. Alimentação: As lagartas são castanhas cobertas com filamentos pilosos de cor branca e pequenas pintas brancas, sendo a cabeça de cor preta. As lagartas são gregárias e alimentam-se em grandes grupos. Alimentam-se de plantas da família Santalaceae como Exocarpos aphyllus, Exocarpos strictus, Exocarpos cupressiformis, Santalum acuminatum, Santalum lanceolatum, Santalum spicatum, e da família Loranthaceae como Amyema cambagei, Amyema linophylla, Amyema melaleucae, Amyema miquelii, Amyema preissii, Amyema quandang. Na fase da metamorfose a lagarta tece uma cinta de seda á sua volta onde se prende a uma folha ou ramo da planta hospedeira para se transformar em crisálida.








. Observação importante: É um grupo bastante numeroso no seu género, existindo cerca de 250 espécies do género Delias.