Este blog é dedicado a todos os amantes da Natureza e ao público em geral. Mas principalmente aqueles que se interessam pelo fascinante mundo dos Lepidópteros (Borboletas). Além de tudo, este blog é um guia onde o leitor poderá conhecer e identificar as mais variadas espécies de borboletas existentes um pouco por todo o mundo.

domingo, 13 de agosto de 2017

PAPILIO ANDROGEUS - (Cramer, 1775)


. Características: Esta magnífica borboleta pertence á família dos Papilionídeos (Papilionidae). Também vulgarmente conhecida por "Queen-swallotail" (Rainha cauda-de-andorinha), esta espécie possui dimorfismo sexual. Ou seja, existem diferenças acentuadas entre os dois sexos. Assim o macho possui asas de cor negra, com uma larga faixa amarela que atravessa ambas as asas de uma ponta á outra. Nas asas posteriores possui duas fileiras de lúnulas estreitas junto ás margens, uma de cor azulada e outra de cor amarela, sendo que na margem interior exibe duas lúnulas vermelhas. A face inferior é idêntica mas mais pálida, exibindo uma fileira de lúnulas azuis e outra de lúnulas vermelhas junto á margem das asas posteriores que são coroadas por várias caudas curtas sendo uma delas mais comprida. A fêmea por sua vez é bastante variável, possuindo asas de cor castanho-negro com reflexos azuis ou esverdeados, que podem apresentar ou não, uma faixa branca nas asas anteriores. Nas posteriores também possui uma área azulada ou esverdeada atravessada por nervuras pretas que pode variar na sua extensão. Possui igualmente duas fileiras de lúnulas azuis e duas lúnulas vermelhas na margem interna das asas. A face inferior é idêntica á superior, mas possui três fileiras de lúnulas nas asas posteriores, uma vermelha, uma azul e outra amarelada. A sua envergadura varia entre os 11 e os 12 cm de comprimento.


 . Habitat: Pode ser vista em clareiras e orlas de florestas tropicais, parques e jardins, pomares, margens de rios e riachos, onde por vezes os machos se juntam em pequenos grupos na areia para sugar os sais minerais. Distribui-se pela América Central e do Sul, desde a Florida, México, Brasil e Argentina.

. Período de voo: Pode ser vista ao longo de quase todo o ano entre os meses Abril até Outubro, em várias gerações.












. Alimentação: A lagarta no último estágio do seu crescimento é de cor castanho-esverdeada com grandes manchas brancas espalhadas pelo corpo e pequenas pintas azuis. Como todos os papilionídeos a lagarta possui um órgão bifurcado atrás da cabeça e que projecta para fora do corpo sempre que se sente ameaçada. Este órgão denomina-se de omesterium. Alimenta-se de plantas da família Rutaceae entre as quais; Choisya dumosa, Citrus aurantium, Citrus reticulata, Citrus sinensis, Zanthoxylum americanum, Z. clava-herculis, Z. elephantiasis, Z. fagara, Z. setulosum. Na fase da metamorfose a lagarta tece uma cinta de seda á volta do seu corpo, onde se prende a um ramo ou folha da planta hospedeira para se transformar em crisálida.














. Observação importante: Existem quatro subespécies do género Androgeus. As fêmeas são bastante variáveis. 






domingo, 30 de julho de 2017

PHYCIODES THAROS - (Drury, (1773)


. Características: Esta pequena borboleta pertence á família dos Ninfalídeos (Nymphalidae). As suas asas são de cor laranja com pequenas manchas e linhas irregulares de cor negra que se entrelaçam, sendo as margens das asas geralmente negras. Apresenta também uma fila de pintas pretas na submargem das asas posteriores. A face inferior possui um padrão mais liso e discreto, sendo de cor ocre com poucas linhas ou manchas. A fêmea distingue-se do macho por ser ligeiramente maior e mais escura. A sua envergadura varia entre os 3,5 e os 4 cm de comprimento.


. Habitat: Distribui-se por todo o Leste dos E.U.A, estendendo-se até ao México. É frequente em áreas abertas tais como campos e prados floridos, bermas de estradas, clareiras e orlas de florestas.

. Período de voo: Voa de Abril até Novembro no norte, mais a sul e no México, ao longo de todo o ano em várias gerações.














. Alimentação: A lagarta quando atinge a maturação torna-se castanho-negro, com pequenas pintas claras sobre o dorso que é coberto por pequenos espinhos de cor castanho-claro. Apresenta também duas linhas amareladas na zona lateral do corpo. Alimenta-se de plantas da família Aster entre as quais; Aster pilosus, A. texanus e A. laevis. Na fase da metamorfose a lagarta tece um ponto de seda numa folha ou ramo da planta hospedeira, onde se fixa de cabeça para baixo para se transformar em crisálida. As lagartas hibernam no terceiro estágio do seu crescimento.











. Observação importante: É uma espécie bastante variável no padrão da cor. Existem cerca de 12 espécies do género Phyciodes.