Este blog é dedicado a todos os amantes da Natureza e ao público em geral. Mas principalmente aqueles que se interessam pelo fascinante mundo dos Lepidópteros (Borboletas). Além de tudo, este blog é um guia onde o leitor poderá conhecer e identificar as mais variadas espécies de borboletas existentes um pouco por todo o mundo.

domingo, 22 de maio de 2016

IDEOPSIS VULGARIS MACRINA - (Butler, 1874)



. Características: Esta borboleta diurna pertence á família dos Ninfalídeos (Nymphalidae). A face superior das suas asas são castanho-escuras com nervuras e margens enegrecidas, listras e manchas de cor azul-clara. A face inferior é idêntica mas um pouco mais clara. Ambos os sexos são idênticos, e a sua envergadura varia entre os 7 e os 8 cm de comprimento.





. Habitat: Habita as clareiras e orlas de florestas, áreas de mangue no litoral, mas também pode ser vista em parques e jardins. Distribui-se por todo o sudeste Asiático.

. Período de voo: Voa durante quase todo o ano em várias gerações, com maior incidência entre os meses de Abril, Maio, Junho, Setembro e Outubro.









. Alimentação: A lagarta no último instar é castanho-escura ou cor de vinho-escuro, com numerosas manchas ovais brancas. Possui também quatro apêndices de cor vermelho-escuros na base e negros nas pontas, dos quais, dois estão situados no segundo segmento junto á cabeça, e outros dois no penúltimo segmento do corpo. Alimenta-se de plantas da família (Asclepiadaceae), como Tylophora fleuxosa, Tylophora tenuissima, Apocynaceae. Estas plantas são tóxicas, e as lagartas ao alimentarem-se delas, tornam-se igualmente tóxicas para as aves ou outros predadores. Na fase da metamorfose esta tece uma almofada em seda, na qual se fixa de cabeça para baixo para se transformar em crisálida.










. Observação importante: A borboleta é tóxica e por isso possui um paladar desagradável para os predadores. Pode ser facilmente confundida com outras espécies do seu género, como por exemplo; Ideopsis similis, Ideopsis vulgaris contigua, Tirumala limniace e Parantica agleoides.


video






Sem comentários:

Enviar um comentário