Este blog é dedicado a todos os amantes da Natureza e ao público em geral. Mas principalmente aqueles que se interessam pelo fascinante mundo dos Lepidópteros (Borboletas). Além de tudo, este blog é um guia onde o leitor poderá conhecer e identificar as mais variadas espécies de borboletas existentes um pouco por todo o mundo.

domingo, 29 de março de 2015

CACYREUS MARSHALLI - (Butler, 1898)



. Características: Também conhecida por «borboleta-do-gerânio», esta borboleta de reduzidas dimensões pertence á família dos Licenídeos (Lycaenidae). A face superior das suas asas são de cor castanho-bronze, com os bordos tracejados de branco. Possui ainda nas extremidades das asas posteriores uma pinta preta e duas finas caudas. Na face inferior apresenta um padrão manchado de castanho-acinzentado, com faixas brancas. Ambos os sexos são idênticos, sendo a fêmea ligeiramente maior que o macho. A sua envergadura varia entre os 2,3 cm e os 2,7 cm de comprimento.



. Habitat: Habita os campos e prados floridos, jardins e estufas, onde exista a sua planta hospedeira. Até aos 1200 metros de altitude. No sul da Europa e África do Sul.


. Período de voo: Voa de Março a Outubro, em várias gerações.










. Alimentação: As lagartas são verdes claras no início, tornando-se mais escuras e apresentando por vezes uma risca de tons rosado na zona dorsal e lateral do corpo, que é coberto por finos pêlos brancos. Alimentam-se exclusivamente de sardinheiras (Pelargonium) ou Gerâneos, provocando sérios danos ás plantas, podendo destruir por completo uma planta inteira numa só geração. No início as lagartas começam por se alimentar dos botões das flores, de seguida perfuram os caules tenros da planta, alimentando-se por dentro e fazendo verdadeiras galerias, passando depois para as folhas. Na fase da metamorfose, a lagarta transforma-se em crisálida prendendo-se a uma folha ou caule da planta hospedeira, através de uma cinta de seda. Um facto curioso é que a crisálida é quase ou tão peluda quanto a lagarta.







. Observação importante: Esta espécie é originária da África do Sul, foi introduzida acidentalmente na Europa por importações de Pelargonium (planta de cultivo ornamental) e espalhou-se rapidamente nos últimos anos no Sul da Europa (principalmente na Espanha, França, Itália) atingindo já as Canárias e sul da Suíça. Por não possuir nenhum predador ou parasita específico que controle a espécie, esta tem vindo a espalhar-se rapidamente.




video





domingo, 22 de março de 2015

PIERIS RAPAE - (Linnaeus, 1758)



. Características: Vulgarmente conhecida por «pequena-borboleta-da-couve», esta borboleta é uma das espécies mais comuns da Europa, e pertence á família dos Pierídeos (Pieridae). As suas asas são brancas, apresentando duas pintas pretas e uma mancha de cor cinza-escuro no ápice das asas anteriores. O macho por sua vez, possui uma só pinta em vez de duas. O lado inferior das asas é idêntico em ambos os sexos, no entanto a fêmea é mais amarelada que o macho. A sua envergadura varia entre os 4,5 cm e os 5,5 cm de comprimento.



. Habitat: Habita em prados floridos, jardins, bem como em zonas agrícolas e cultivadas, até aos 2000 metros de altitude. Em toda a Europa, Ásia, Japão e Norte de África.


. Período de voo: Voa desde Abril até fins de Setembro, em várias gerações. A última geração por vezes fica incompleta e hiberna em estado de crisálida até á Primavera seguinte.











. Alimentação: A lagarta é verde, coberta por minúsculos pêlos e possui uma linha amarela bem definida ao longo do dorso, e outra tracejada na zona lateral do corpo. Alimenta-se de vários tipos de crucíferas como; resedas, ansarinhas, rubiáceas. Ou ainda espécies cultivadas como o repolho, a couve, a nabiça ou o nabo, tornando-se por vezes uma praga para as hortas quando o seu número é elevado. Na fase da metamorfose esta desloca-se para longe da planta hospedeira, onde se fixa numa parede, rebordo de um muro ou janela, para aí se transformar em crisálida cingulada, presa com uma cinta de seda numa posição vertical.









. Observação importante: Por vezes pode ser confundida com outras subespécies idênticas, principalmente a Pieris mannii e a Pieris brassicae de maiores dimensões. Como todas as borboletas do género, voa aos solavancos e com lentidão, executando apenas nove batimentos por segundo.




video





domingo, 15 de março de 2015

BIBLIS HYPERIA - (Cramer, 1779)



. Características: Esta borboleta de médio porte, pertence á família dos Ninfalídeos (Nymphalidae). As suas asas possuem uma coloração castanho-escura quase negra, um pouco mais pálida nas extremidades das asas anteriores. As posteriores apresentam uma faixa de cor vermelho-vivo perto das extremidades. A face inferior é idêntica á superior, mas um pouco mais pálida, e apresenta três pintas vermelhas na parte interna junto ao corpo da borboleta. Apresenta ainda pequenas pintas brancas junto á cabeça. A fêmea é idêntica ao macho não havendo grandes diferenças. A sua envergadura varia entre os 5,5 cm e os 7,5 cm de comprimento.



. Habitat: Sendo uma borboleta neotropical, a sua área de distribuição abrange a América Central, desde o México até ao Uruguai, passando pelas Caraíbas, incluindo todo o continente sul-americano. Habita as clareiras e orlas de florestas, caminhos, margens de rios etc. Dos 500 aos 1000 metros de altitude.


. Período de voo: Voa durante quase todo o ano em várias gerações, entre os meses de Março a Novembro. O seu voo é lento e tem por hábito agitar as asas quando pousam na folhagem dos arbustos e árvores, ou quando absorvem a humidade mineralizada de pedras e seixos.










. Alimentação: As lagartas são de cor castanho-manchado, com dois compridos prolongamentos espinhosos na cabeça semelhantes a dois chifres, e vários espinhos ramificados em todo o corpo, que lhe dão um aspecto semelhante a um pequeno ramo seco e espinhoso. Alimentam-se de Tragia volubilis da família (Heuphorbiaceae). Na fase da pupação a lagarta transforma-se em crisálida ficando presa a um ramo de cabeça para baixo. Tanto a lagarta como a crisálida possuem um aspecto muito peculiar, que lhe dão uma camuflagem muito eficaz.







. Observação importante: É considerada a única espécie do seu género.



video





domingo, 8 de março de 2015

CALIGO PROMETHEUS - (Kollar, 1850)



. Características: Vulgarmente conhecida por «borboleta-coruja» esta enigmática borboleta pertence á família dos Ninfalídeos (Nymphalidae). A face superior das suas asas sombrias, contrastam com o azul-acinzentado metalizado que se destaca no seu centro. A face inferior é manchada de castanho, apresentando várias linhas e desenhos de cor preto e castanho, com grandes manchas ocelares de pupila negra e íris clara nas asas posteriores, lembrando os olhos de uma coruja. Estes ocelos servem para enganar os predadores, quando ameaçada abre as asas e empina o corpo, revelando os enormes olhos transformando-se assim numa coruja que é um dos maiores predadores de muitos animais pequenos. As fêmeas são ligeiramente maiores e menos coloridas que os machos. A sua envergadura chega a atingir os 18 cm de comprimento.


                              . As semelhanças são idênticas.

. Habitat: Habita as florestas tropicais húmidas da América do Sul. Os machos possuem um comportamento territorial e na fase do acasalamento perseguem incansavelmente as fêmeas. Ao contrário da maior parte das borboletas que se alimentam do néctar das flores, esta espécie prefere os frutos maduros, a seiva das árvores e excrementos de animais. Também tem por hábito pousar em solos húmidos, perto de cursos de água para aí sugar os saias minerais.


. Período de voo: Voa durante quase todo o ano. Possui hábitos crepusculares e voa lentamente ao amanhecer e entardecer. Durante as horas de maior calor fica pousada á sombra da vegetação.










. Alimentação: Á medida que cresce a lagarta muda várias vezes de pele e de cor, sendo verde no estágio juvenil, passando para o castanho no estágio de pré-pupa. Possui um aspecto espalmado para se dissimular na folhagem da planta hospedeira, e o último segmento do seu corpo prolonga-se numa espécie de cauda bifurcada. Na cabeça possui várias protuberâncias que lhe dão um aspecto muito peculiar.

Alimenta-se de várias espécies de bananeiras, ciperáceas e marantáceas. Na fase da metamorfose a lagarta transforma-se em crisálida ficando suspensa de cabeça para baixo presa a um ramo da planta hospedeira. A crisálida assemelha-se a uma folha seca para se proteger de ataques de predadores até completar a sua metamorfose que dura em média 30 dias.








. Observação importante: Uma curiosidade interessante é o facto de nenhum exemplar apresentar as asas exactamente iguais ao outro, como se trata-se de uma impressão digital. Em média a vida de um adulto é de cerca de 90 dias. Existem cerca de 20 subespécies pertencentes a este grupo. É uma espécie que está classificada como vulnerável, pois está ameaçada pela destruição do seu habitat, quer pelo uso de insecticidas nas plantações de banana causando a morte das lagartas, ou pela captura criminosa destes belos insectos.




video