Este blog é dedicado a todos os amantes da Natureza e ao público em geral. Mas principalmente aqueles que se interessam pelo fascinante mundo dos Lepidópteros (Borboletas). Além de tudo, este blog é um guia onde o leitor poderá conhecer e identificar as mais variadas espécies de borboletas existentes um pouco por todo o mundo.

domingo, 30 de novembro de 2014

COSSUS COSSUS - (Linnaeus, 1758)



. Características: É uma espécie fácil de identificar, pois é uma borboleta grande e robusta. Pertence á família dos Cossídeos (Cossidae) e facilmente se confunde com a casca das árvores. As asas são castanho-acinzentadas, marcadas com finas linhas transversais escuras. Possui também uma linha de cor negra mais larga na zona do toráx e junto da cabeça. As asas posteriores são idênticas ás anteriores. A fêmea é maior e mais volumosa do que o macho, e a sua envergadura varia entre os 6,6 cm e os 9,6 cm de comprimento.


. Habitat: Aparece onde quer que existam Salgueiros e Álamos. Em zonas ribeirinhas, prados, jardins públicos etc. Nas montanhas até aos 1500 metros de altitude. Em toda a Europa, zona temperada da Ásia e Norte de África.


. Período de voo: De Maio a Agosto, numa geração.









. Alimentação: As lagartas são carnudas e achatadas, de cor amarelo-avermelhado, com a zona dorsal mais escura. Possuem fortes mandíbulas para triturar a madeira das árvores de que se alimentam. Alimentam-se da casca das árvores, depois furam o tronco abrindo várias galerias, provocando grandes danos nas árvores. Estas lagartas chegam a atingir 10 cm de comprimento e consomem vários tipos de árvores entre as quais; Alnus, Betula, Castanea, Citrus, Cydonia, Fagus, Fraxinus, Juglans, Malus, Olea, Populus, Prunus, Pyrus, Querqus, Salix, Sorbus, Ulmus, Vitis. As lagartas hibernam por várias vezes, entre dois ou três anos antes da pupação. Depois, constroem uma câmara na madeira e fabricam um casulo de serradura e fibras, onde iram permanecer as crisálidas até ao nascimento das futuras borboletas. A pupação também pode ocorrer no solo.







. Observação importante: É uma espécie activa á noite, e a espiritrompa do adulto encontra-se atrofiada, não podendo por isso alimentar-se no estado de borboleta. Por essa razão, o seu tempo de vida é relativamente curto, ao contrário da lagarta.







domingo, 23 de novembro de 2014

OPHIUSA TIRHACA - (CRAMER, 1773)



. Características: Esta vistosa borboleta nocturna pertence á família dos Noctuideos (Noctuidae). Distingue-se por ter as asas anteriores de cor verde, recortadas por uma larga faixa de cor castanha nas suas extremidades. Possui ainda duas pintas grandes de cor castanha no centro das asas. As asas posteriores são amarelas, com uma faixa transversal castanho-escura ou negra. O abdómen é igualmente amarelo. A fêmea é ligeiramente maior que o macho e possui as faixas transversais das asas posteriores mais largas. A sua envergadura varia entre os 5 cm e os 6,4 cm de comprimento.



. Habitat: Clareiras e orlas de florestas com árvores de grande porte existentes em zonas secas. No Sul da Europa, África, Austrália e partes do Sul da Ásia.


. Período de voo: Desde fins de Março até Outubro, em duas gerações.












. Alimentação: A lagarta possui uma excelente camuflagem, tornando-se muito difícil de encontrar entre os ramos da sua planta hospedeira, pois assemelha-se a estes. Alimenta-se de Pistacia lentisco, Pistacia terebinthus, Cotinus coggygria, Rhus coriaria, Rhus cotinus, Cistus, Eucalyptus, Osyris, Viburnum e Pelargonium. Na fase da metamorfose a lagarta constrói um casulo de seda entre a folhagem da planta hospedeira.






. Observação importante: É uma espécie que está a ficar ameaçada e a tornar-se cada vez mais rara em certas partes da Europa.






domingo, 16 de novembro de 2014

PYRONIA TITHONUS - (Linnaeus, 1767)



. Características: De aspecto inconfundível, esta pequena borboleta diurna pertence á família dos Ninfalídeos (Nymphalidae). A cor base das suas asas é o laranja, com bordos de cor castanha em toda a sua periferia. Apresenta ainda um ocelo de cor negra, com pupila dupla de cor branca nas asas anteriores. Nas asas posteriores existe também um minúsculo ocelo na parte interior das asas. O macho diferencia-se da fêmea por apresentar uma mancha castanha no centro das asas anteriores. A face inferior é castanha com uma faixa irregular de cor mais clara, e três ou quatro minúsculos ocelos nas asas posteriores. Possui igualmente um ocelo negro de pupila branca nas asas anteriores. A sua envergadura varia entre os 3,7 cm e os 4,8 cm de comprimento, sendo a fêmea ligeiramente maior que o macho.



. Habitat: É comum vê-la pousada nas plantas de asas abertas aquecer-se ao sol. Habita em lugares quentes e floridos, como silvados, orlas e clareiras de florestas, bordas de caminhos, prados floridos etc. Em toda a Europa Central e Meridional.


. Período de voo: De Junho a Setembro, numa geração.










. Alimentação: A lagarta pode apresentar duas variações de cores. Verde ou acastanhada. É coberta por minúsculos pêlos e possui uma linha escura ao longo do dorso e outra de cor clara na parte lateral do corpo. Alimenta-se de várias gramíneas como; Agrostis ssp, Festuca ssp, Poa ssp, Elytrigia repens. Na fase da metamorfose a lagarta transforma-se em crisálida ficando suspensa de cabeça para baixo presa á vegetação. A lagarta hiberna.






. Observação importante: O número de indivíduos varia consoante o estado de conservação do habitat e o estado do clima. Quanto mais quente maior a quantidade de indivíduos.




video






domingo, 9 de novembro de 2014

ACRONICTA RUMICIS - (Linnaeus, 1758)



. Características: Esta borboleta nocturna pertence á família dos Noctuídeos (Noctuidae). É uma espécie relativamente comum e de aspecto variável, podendo ir do cinza-claro ao cinza mais escuro. Apresenta linhas e desenhos de cor preta, marcada por uma pequena mancha circular de cor clara no centro das asas anteriores. As asas posteriores são de cor castanho-acinzentadas. Ambos os sexos são idênticos. A sua envergadura é de 3 a 4 cm de comprimento.




. Habitat: Clareiras de florestas, prados, jardins, etc. Nas montanhas até aos 1500 metros de altitude. Em toda a Europa, partes da Ásia, Japão e noroeste de África.


. Período de voo: De Maio a Julho, podendo ocorrer uma segunda geração de Agosto a Setembro.















. Alimentação: A lagarta é mais vistosa que o adulto. É peluda e de cor castanha, apresentando duas filas de pequenas manchas brancas ao longo do dorso, com pequenas pintas de cor laranja no seu centro. Na zona lateral do corpo apresenta igualmente uma faixa de cor branca com várias pintas de cor laranja.

Alimenta-se de várias plantas como; Salix caprea, Urtica, Rumex obtusifolius, Rubus fruticosus, Euphorbia cyparissias, Calluna vulgaris, Plantago lanceolata, Centaurea jacea, Taraxacum seita, Rudelaria.
Na fase da metamorfose a lagarta constrói um casulo de seda que adere á vegetação, a uma pedra ou muro, onde irá pupar. A crisálida hiberna.











. Observação importante: Passa facilmente despercebida quando pousada em troncos de árvores cobertas por liquens. É atraída pela luz artificial.