Este blog é dedicado a todos os amantes da Natureza e ao público em geral. Mas principalmente aqueles que se interessam pelo fascinante mundo dos Lepidópteros (Borboletas). Além de tudo, este blog é um guia onde o leitor poderá conhecer e identificar as mais variadas espécies de borboletas existentes um pouco por todo o mundo.

domingo, 28 de setembro de 2014

SMERINTHUS OCELATTA - (Linnaeus, 1758)


. Características: Como todas as borboletas da sua família, possui asas compridas e estreitas e corpo robusto típico dos Esfingídeos (Sphingidae). É uma borboleta grande e vistosa. As suas asas anteriores possuem desenhos e manchas castanho-acinzentadas. As posteriores são de cor ocre e vermelho-rosado, com dois ocelos em forma de «olhos» bordejados de negro. Ambos os sexos são idênticos. A fêmea é ligeiramente maior que o macho, e a sua envergadura pode variar entre os 7 cm e os 8,7 cm de comprimento.



. Habitat: Margens de rios, várzeas, pomares, parques e planícies com Álamos e Salgueiros. Em toda a Europa e Ásia.


. Período de voo: Desde Maio a Julho numa geração. Em anos favoráveis pode desenvolver-se uma segunda geração incompleta, ficando a crisálida em estado de hibernação, nascendo só na Primavera seguinte.










. Alimentação: A lagarta é vede pontuada de minúsculos pontos brancos, e com várias linhas brancas transversais, paralelas. Na extremidade do corpo possui uma espécie de cornicho mais ou menos curvo, típico desta família. Dificilmente se descobre quando está parada nos ramos das árvores. Alimenta-se principalmente de Salgueiro (Salix) e Macieira (Malus). No entanto, quando há falta destas, pode alimentar-se também de Choupo (Populus), Bétula, Amieiro (Alnus) etc.
Para se transformar em crisálida escava um buraco no solo, onde o forra com uma leve película de seda, que a vai separar do meio envolvente. A crisálida hiberna.






. Observação importante: Quando a borboleta se encontra em posição de repouso, é difícil de localizar, pois apresenta uma camuflagem que a torna «invisível» aos lhos dos predadores. Mas se esta estratégia de sobrevivência falha, possui outro truque: os ocelos das asas posteriores, tapam e destapam alternadamente, dando a ilusão ao predador de estar perante um enorme animal a "piscar" os olhos, aproveitando assim para fugir.






video





domingo, 21 de setembro de 2014

ATROPOS ACHERONTIA - (Linnaeus, 1758)



. Características: Conhecida vulgarmente por «Borboleta-Caveira» este lepidóptero pertence á família dos Esfingídeos (Sphingidae), e é uma das maiores e mais pesadas borboletas que se conhece. O seu corpo chega a pesar cerca de 9 a 10 gramas.
As asas anteriores são pardacentas, castanho-escuras acinzentadas. As posteriores são amarelas com faixas negro-azuladas, de igual modo como o seu gordo abdómen que mais parece uma abelha gigante. Na zona do tórax possui um desenho idêntico ao de uma caveira, daí o seu nome vulgar. O seu voo é rápido e deslizante. As fêmeas são maiores que os machos, podendo alcançar uma envergadura de 12 cm de comprimento.



. Habitat: É uma espécie que gosta de calor, preferindo os vales baixos. Aparece também em locais soalheiros de regiões montanhosas de média altitude, até aos 1800 metros. É uma espécie migratória e é originária de África. Realiza migrações periódicas até ao norte da Pérsia, Continente Europeu, Ilhas da Madeira, Açores e Canárias. É uma borboleta difícil de encontrar, pois a sua maior actividade é de madrugada até ao crepúsculo.

. Período de voo: Voa de Maio a Setembro em duas gerações.














. Alimentação: As lagartas são inicialmente verdes, depois amarelas com riscas transversais azuis. Por vezes também podem ser castanhas-acinzentadas, manchadas de branco na zona dorsal perto da cabeça, mas sem as riscas transversais. Alimentam-se de folhas de batateira (Solanum tuberosum), Solanum jacquini, Solanum jasminoides, Solanum macrocarpon, Brugmansia suaveolens, Tabebuia pallida, Clerodendrum ugandense, Mormordica charantia, Vitex, Jasminum pubigerum, Spathodea, Duranta erecta, Lantana camara, Lycium barbum e Atropa belladonna.

A lagarta faz a pupação no solo, onde escava um buraco vários centímetros abaixo da superfície, para aí se transformar em crisálida. Por vezes na colheita das batatas, é comum observar as grandes crisálidas de cor castanho-avermelhado, que aparecem á superfície juntamente com as batatas.





. Observação importante: Quando se sente ameaçada ou perturbada,tem a capacidade de emitir um som estridente muito peculiar. Ao contrário da maioria das outras borboletas que sugam o néctar das flores, esta borboleta é também gulosa por mel. Está bem adaptada para invadir as colmeias de abelhas e sugar o mel directamente do favo através da sua forte espiritrompa. Para isso, e para não ser atacada por elas, utiliza o seu som estridente que por algum tempo consegue tranquilizar as abelhas. Mas logo cai ao tentar defender-se quando estas descobrem a sua presença, ficando agarrada ao mel e acabando por morrer.





video





domingo, 14 de setembro de 2014

HIPPOTION CELERIO - (Linnaeus, 1758)



. Características: De aspecto robusto e aerodinâmico, esta borboleta pertence á família dos Esfingídeos (Sphingidae), um grupo de borboletas consideradas grandes voadoras. O seu corpo e asas triangulares são listradas de cor verde-oliva e ocre, com uma faixa clara ou prateada que atravessa as asas anteriores obliquamente. As asas posteriores são de cor vermelho-rosado com uma faixa de nervuras pretas. A sua envergadura varia entre os 6 cm e os 7,2 cm de comprimento.



. Habitat: Áreas costeiras, encostas rochosas, jardins, áreas cultivadas com vinhas, etc. No Sul da Europa, Centro e Sul da Ásia, África e Austrália.


. Período de voo: É migradora. Desloca-se por vezes até á Europa vinda de África onde se reproduz, iniciando outra geração. Voa de Junho a Setembro, em duas gerações.














. Alimentação: A lagarta apresenta duas formas, podendo ser de cor verde ou castanha, com finas linhas tracejadas no dorso. Possui duas grandes manchas em forma de «olhos» na zona dorsal e perto da cabeça, que utiliza para intimidar os predadores. Encolhe a cabeça para dentro e faz sobressair os «olhos» assustadores. Possui ainda uma espécie de espigão negro na extremidade do corpo que é inofensiva, característico dos esfingídeos.

Alimenta-se de várias plantas como; Rumex abyssinicus, Ampelosis, Galium verum, Epilobium, Fuchsia, Boerhavia elegans, Beta vulgaris, Cissus cirrhora, vitis vinifera, Acacia karoo, Acacia caffra, Impatiens, Vigna, Ipomoea batatas, Ipomoea cairica, Ipomoea involucrata.
Na fase da metamorfose aa lagarta faz a pupação no solo.









. Observação importante: Para se poder observar bem o padrão das suas asas a borboleta tem que estar pousada, pois possui um voo muito rápido semelhante ás aves colibri. A lagarta possui duas grandes manchas em forma de «olhos» que utiliza para intimidar os predadores.




video






domingo, 7 de setembro de 2014

MANIOLA JURTINA - (Linnaeus, 1758)



. Características: Vulgarmente conhecida por «borboleta-loba», Maniola jurtina é uma borboleta bastante comum e pertence á família dos Ninfalídeos (Nymphalidae). A coloração das suas asas é distinta entre os dois sexos. Os machos apresentam a face superior das asas de cor castanho-escuro quase negro, aveludado, com um ocelo negro de pupila branca no ápice das asas anteriores. As fêmeas por sua vez são castanhas, um pouco mais claras que os machos, apresentando de igual forma ocelos de pupila branca, mas  possuem manchas alaranjadas nas asas anteriores que vor vezes se prolongam até ás posteriores, dependendo dos indivíduos. A face inferior é idêntica entre os sexos com a característica pupila nas asas anteriores, no entanto, os machos possuem as asas posteriores de cor cinza-acastanhado quase uniforme e com três ou quatro minúsculos ocelos negros. Enquanto as fêmeas mostram duas zonas claramente delimitadas e não possuem estes minúsculos ocelos. As fêmeas são ligeiramente maiores que os machos. A sua envergadura varia entre os 4 cm e os 5,2 cm de comprimento.



. Habitat: Habita as clareiras dos bosques, margens de florestas, pinhais, prados, até aos 1800 metros de altitude. Em toda a Europa, Ásia, e Norte de África.


. Período de voo: Voa de Maio a Setembro numa geração, podendo ocorrer uma segunda geração em anos favoráveis.








. Alimentação: As lagartas são verdes com minúsculos pêlos esbranquiçados, e possuem uma linha também esbranquiçada de cada lado do corpo. Discretas, alimentam-se de várias gramíneas como; Poa trivialis, Poa pratensis, Festuca, Agrotis, Dactylis glomerata, Brachypodium sylvaticum, Milium, Lolium, Alopecurus, etc. Na fase da metamorfose a crisálida fica suspensa de cabeça para baixo, presa aos caules ou folhas das plantas de que se alimenta. A lagarta pode hibernar.









. Observação importante: Os machos aparecem muito mais cedo que as fêmeas e são mais activos que estas, percorrendo mais áreas em voo, enquanto as fêmeas permanecem nos arredores do local em que nasceram.




video