Este blog é dedicado a todos os amantes da Natureza e ao público em geral. Mas principalmente aqueles que se interessam pelo fascinante mundo dos Lepidópteros (Borboletas). Além de tudo, este blog é um guia onde o leitor poderá conhecer e identificar as mais variadas espécies de borboletas existentes um pouco por todo o mundo.

sábado, 22 de dezembro de 2012

FELIZ NATAL !



. A melhor mensagem de Natal é aquela que sai em silêncio dos nossos corações e aquece com ternura os corações daqueles que nos acompanham na nossa caminhada pela vida.
Feliz Natal e um prospero Ano-Novo, são os votos que desejo a todos os leitores do meu blog.


video







domingo, 16 de dezembro de 2012

ALMIRANTE-VERMELHO


VANESSA ATALANTA (Linnaeus, 1758)

. Características: Sendo uma das espécies nacionais mais frequentes, a Vanessa atalanta mais conhecida por Almirante-Vermelho ou Vulcão, pertence á família dos Ninfalídeos (Nymphalidae).
As suas asas têm uma envergadura que varia entre os 5,5 cm a 6,5 cm. A sua coloração distingue-se pela faixa vermelho-viva que sobressai no fundo castanho-escuro aveludado, e pelas manchas brancas na extremidade das asas anteriores. A face inferior apresenta uma coloração jaspeada, utilizada como função de camuflagem. Assim, quando pousa em campo aberto ou em rochas, mantem as asas fechadas confundindo-se assim com o meio que a rodeia.
A borboleta costuma hibernar na zona Sul.


. Habitat: Encontra-se muito dispersa: em prados, jardins, florestas pouco densas, desde a orla maritima até aos 2000 m de altitude. No Outono, aparece nos pomares á volta da fruta apodrecida, onde suga o sumo da fruta com a espiritrompa. Distribui-se por toda a Europa, Ásia e Norte de África.


. Período de voo: De Março a Outubro em várias gerações. Ao chegar a Primavera esta espécie de voo poderoso, emigra desde o Mediterrâneo em direcção ao Centro e Norte da Europa, onde têm duas gerações. Uma parte regressa ao Sul no Outono, mas a maioria morre de frio a norte dos Alpes. As borboletas migratórias voam velozmente em direcção ao seu objectivo, sempre a muita pouca distância do solo. Quando tropeçam num obstáculo, este não é rodeado mas sobrevoado. Quando emigram não formam grupos, voam sempre solitárias.





. Alimentação: A lagarta alimenta-se de urtigas e ocasionalmente de cardos. Esta apresenta uma cor que varia entre o preto, verde e o castanho-amarelado, e o seu corpo é revestido de espinhos ramificados. A lagarta desta espécie tem um comportamento curioso: para se proteger dos predadores, une os bordos da folha com fios de seda e faz uma "tenda" no interior da qual se esconde enquanto vai devorando a folha. Quando a folha está meia devorada muda para outra e reinicia o processo. A crisálida fica suspensa de cabeça para baixo em pedras ou na vegetação.







. Observação importante: Durante as migrações, é o único ropalócero capaz de voar com o céu coberto de nuvens e até mesmo a chover. Chegando mesmo a voar com ventos contrários.

video





domingo, 9 de dezembro de 2012

BELA-DAMA


VANESSA CARDUI (Linnaeus, 1758)


. Características: Vulgarmente conhecida por Bela-Dama, esta espécie da família dos Ninfalídeos (Nymphalidae), é uma das espécies com mais ampla distribuição geográfica.
Na Natureza, facilmente se confunde com a Aglais urticae, contudo, a Vanessa cardui tem uma cor mais pálida, é maior, mais rápida e versátil no voo. Com uma envergadura média de 5,5 cm, as suas asas são de tons alaranjados a rosados, manchadas de preto e branco. Uma característica são os cinco ocelos que apresenta na face inferior das asas posteriores. Não há grandes diferenças entre os dois sexos.




. Habitat: Por toda a Europa, Ásia, América e África. Frequenta terrenos baldios e prados floridos onde cresçam urtigas e cardos. Na montanha até aos 2000 m de altitude. É uma espécie migradora e grande voadora, podendo percorrer mais de 1000 km. Por exemplo, na Primavera desloca-se em grandes grupos até ao extremo Norte da Europa, permanecendo aí até ao final do verão, onde acabará por não resistir ao frio do Inverno. A borboleta hiberna no Inverno apenas na zona Sul.

. Período de voo: De Maio a Setembro em várias gerações. Como não chegam ao mesmo tempo, é frequente acontecer voarem na mesma zona borboletas recém-nascidas com outras recém-chegadas. As gerações sobrepõem-se assim umas ás outras. Sobretudo no Sul, as gerações não se separam.









. Alimentação: A lagarta é de cor verde-cinza a negra, com manchas amarelas e espinhos ramificados. Alimenta-se de cardos, urtigas, tussilagem e bardana. A crisálida fica suspensa de cabeça para baixo na planta hospedeira ou em pedras.















. Observação importante: É uma das espécies mais frequentes da Europa. Para se observar a sua abundância é necessário encontrar locais onde se desenvolvam cardos e urtigas. As borboletas voam rápidamente até ao seu objectivo. Se encontram um obstáculo, sobrevoam-no.
Outras espécies próximas da Vanessa cardui são: Vanessa kershawi (por vezes considerada como uma subespécie), Vanessa virginiensis e Vanessa annabella.


video




domingo, 2 de dezembro de 2012

THE BUTTERFLY ALPHABET


"O ALFABETO DA BORBOLETA"







































. Nesta elaborada e engraçada montagem, é possível observar um conjunto de imagens que representam pormenores de desenhos e padrões de asas de borboletas, que dispostas desta forma, formam letras do alfabeto e números.
A Natureza é uma fonte de arte e tem destas coisas!






domingo, 25 de novembro de 2012

COLIAS CROCEA (Geoffroy, 1785)


. Características: Vulgarmente conhecida por Colias comum ou Borboleta-Maravilha,este lepidóptero pertence á família dos Pierídeos (Pieridae).
Tem uma envergadura média de 4,5cm a 5,5cm. A parte superior das asas é de cor amarelo alaranjado com uma pinta negra nas asas anteriores e uma laranja nas asas posteriores. As margens das asas apresentam largas manchas negras, que nas fêmeas são salpicadas de manchas amarelas. A parte inferior é geralmente de cor amarelo pálido ou amarelo esverdeado com pequenas manchas escuras próximas ás margens das asas. Possui um ou dois ocelos esbranquiçados circulares no centro das asas posteriores, e uma pinta negra perto da margem das asas anteriores.
É uma borboleta de voo rápido, fácil de fotografar, sobretudo quando está pousada em flores ou pequenos ramos, contudo já não é tão fácil observar a parte superior das asas quando estão abertas, pois quando pousa manten-nas quase sempre fechadas.

Habitat: Distribui-se pelos territórios mais quentes da Europa, da Ásia Ocidental e Norte de África. Encontra-se em terrenos planos e ondulados, campos e pradarias, inclusive é frequente encontrá-la em zonas de zonas de montanhas até aos 2000 m de altitude.




. Nesta imagem pode-se ver o macho á esquerda e a fêmea á direita durante um voo nupcial.


. Período de voo: Desde Abril a Maio e de Julho a fins de Setembro, em duas ou três gerações. é uma espécie migradora. Em anos favoráveis o seu instinto pode-as levar a realizar migrações até ás zonas mais frias do norte da Europa, ainda que depois não possam sobreviver ao rigoroso Inverno.


. Alimentação: As lagartas alimentam-se de esparceta, loto e alfafa. As lagartas hibernam. A crisálida é cingulada nos ramos das plantas, pedras etc. Este estado pode durar duas ou três semanas até á eclosão da borboleta.






. Observação importante: Há um evidente dimorfismo sexual, que se acentua na variedade "hélice". As fêmeas são ligeiramente maiores que os machos e as margens das asas de cor negra, são salpicadas de pequenas manchas amarelas na face superior. Esta variação é exclusiva das fêmeas que se caracteriza por substituir as vivas cores amarelo-alaranjado dos machos, por cores mais esbatidas amareladas ou esbranquiçadas.



video






domingo, 18 de novembro de 2012

DONZELA DA MADRESSILVA


EUPHYDRYAS AURINIA (Rottemburg, 1775)


. Características: Esta bela borboleta de pequeno porte, mais vulgarmente conhecida por «donzela da madressilva», pertence á família dos Ninfalídeos. Possui uma envergadura que varia entre os 3,5 cm e os 4,5 cm. A cor das suas asas vai desde o castanho-alaranjado, negro e amarelo-ocre. Nas asas posteriores apresenta pequenos pontos negros e na face inferior mostra uma alternância entre o laranja com faixas brancas bordeadas de negro. As fêmeas são ligeiramente maiores que os machos e apresentam um abdómen de maior volume e terminado em ângulo, enquanto os dos machos são mais estreitos e rectos.

. Habitat: Esta espécie distribui-se por quase toda a Europa e Ásia, excepto nas zonas mais frias e regiões mais áridas do Sul. Também está presente no noroeste de África (Argélia e Marrocos). De salientar ainda que esta espécie goza de boa saúde em alguns países como Espanha, mas no resto da Europa encontra-se em rápido declínio, tornando-se cada vez mais rara.
É possível encontrá-la em prados húmidos, em geral em espaços abertos com abundância de flores, até aos 1500 a 2000 m de altitude.

. Período de voo: Numa geração, desde Maio até meados de Julho.










. Alimentação: A lagarta de cor negra, coberta de pequenos espinhos e pequenos pontos brancos brilhantes, alimenta-se de escabiosa, madressilva.
Existe um comportamento social curioso destas lagartas. Como hibernam no estado de lagarta e depois de realizar a terceira muda, estas agrupam-se neste estado de latência. Para isso, tecem uma espécie de saco de seda na planta de que se alimentam. Ás vezes no Outono, podem mudar de planta se as condições iniciais não forem adequadas para a hibernação. Na Primavera abandonam o refúgio e dispersam-se, enquanto as temperaturas sobem o suficiente para poderem alimentar-se. Isto pode ocurrer em fins de Fevereiro, nas zonas mais quentes, onde acabarão por se desenvolver por completo.
A crisálida apresenta um belo colorido de negro e laranja, sobre um fundo branco. Esta fica suspensa de cabeça para baixo sobre pedras ou na vegetação do solo. O estado da crisálida dura entre 2 a 4 semanas, em função da temperatura exterior.














. Observação importante: Devido á variabilidade da espécie, só na Europa já se resgistaram pelos menos 30 subespécies.


video