Este blog é dedicado a todos os amantes da Natureza e ao público em geral. Mas principalmente aqueles que se interessam pelo fascinante mundo dos Lepidópteros (Borboletas). Além de tudo, este blog é um guia onde o leitor poderá conhecer e identificar as mais variadas espécies de borboletas existentes um pouco por todo o mundo.

domingo, 28 de maio de 2017

MYSCELIA CYANIRIS - (Doubleday, 1848)


. Características: Também conhecida popularmente por "onda-azul-tropical", esta borboleta pertence á família dos Ninfalídeos (Nymphalidae). A face superior das suas asas são de cor azul-safira brilhante, com reflexos púrpura, dependendo de como a luz é refletida nas suas asas. Possui também manchas e faixas transversais de cor branca. Na face inferior das asas apresenta um padrão semelhante ao de uma folha seca, com tons de castanho-acinzentados. A fêmea distingue-se do macho por ser castanha e não exibir o azul iridescente, em vez disso, as faixas transversais são brancas com reflexos azuis-claros. A sua envergadura varia entre os 6 e os 6,5 cm de comprimento.


. Habitat: Habita tanto o interior, como as clareiras e orlas de florestas tropicais até aos 700 metros de altitude. Distribui-se desde a América Central até ao norte da América do Sul, desde o México até ao Perú.

. Período de voo: Ao longo de todo o ano em várias gerações.











. Alimentação: A lagarta é verde e possui pequenos espinhos ramificados sobre o corpo. Na cabeça exibe dois longos espinhos em forma de chifres. Alimenta-se de plantas da família Euphorbiaceae entre as quais; Dalechampia Triphylla e Adelia triloba. Na fase da metamorfose a lagarta tece um ponto de seda num ramo ou folha da planta hospedeira, onde se fixa de cabeça para baixo para se transformar em crisálida.






. Observação importante: A borboleta tem por hábito ficar pousada nos troncos das árvores ou na folhagem das plantas á espera dum potencial parceiro. Alimenta-se dos frutos maduros ou putrefactos e de excrementos de animais. Existem cerca de 9 espécies do género Myscelia.





domingo, 21 de maio de 2017

HAMADRYAS AMPHINOME - (Linnaeus, 1767)


. Características: Esta borboleta pertence á família dos Ninfalídeos (Nymphalidae). As suas asas tem como cor de fundo negro-azulado, apresentando um padrão marmoreado, manchado de azul-acinzentado brilhante. Nas asas anteriores possui uma faixa transversal de cor branca, e nas asas posteriores apresenta uma fileira de pintas azuladas rodeadas por manchas ovais em forma de lágrimas. A face inferior é muito atractiva, sendo de cor negra com manchas vermelhas em forma de gomos, desde a base junto ao corpo, não chegando ás extremidades das asas posteriores. As anteriores apresentam de igual forma a faixa branca. Ambos os sexos são idênticos, e a sua envergadura varia entre os 7,5 e os 8,5 cm de comprimento.


. Habitat: Habita as orlas e clareiras das florestas húmidas da América Central e do Sul, estendendo-se desde o México até á Argentina, até aos 1500 metros de altitude. As borboletas passam grande parte do tempo pousadas nos troncos das árvores de cabeça para baixo, á espera de potenciais parceiros. Se perturbadas fazem curtos voos, voltando ao ponto de partida ou pousando a uma altitude superior. Ao contrário de outras espécies, esta alimenta-se de frutos maduros ou putrefactos e de excrementos de animais.

. Período de voo: Ao longo do ano em várias gerações.











. Alimentação: As lagartas são gregárias, vivendo e alimentando-se em grupos. São negras, cobertas de espinhos ramificados com pontas esbranquiçadas, dos quais se destacam dois longos espinhos sobre a cabeça. Apresentam também sobre a zona central do dorso, pequenos desenhos circulares e espinhos de cor amarelo-alaranjados ou avermelhados. Alimentam-se de Dalchampia scandens da família Euphorbiaceae. Na fase da metamorfose a lagarta tece um ponto de seda numa folha ou haste da planta hospedeira, fixando-se de cabeça para baixo para se transformar em crisálida. A crisálida tem um aspecto peculiar, assemelhando-se a uma folha seca, de cor verde e castanha, com duas longas protuberâncias onduladas na zona da cabeça.








. Observação importante: Uma característica curiosa é a dos machos produzirem um som similar á crepitação, ruído ou estalido durante o voo. É produzido por um par de hastes espinhosas na ponta do abdómen contra as cerdas sobre a zona anal. Somente os machos podem produzir o som, mas ambos os sexos podem detectá-lo. As suas asas têm pequenas células ocas, cobertas de membranas, que vibram em resposta ao som e estimulam as terminações nervosas. A finalidade do som não é conhecida. Pode possivelmente dissuadir os outros machos concorrentes de ocuparem o mesmo território. Existem cerca de 21 espécies do género Amadryas.

video





domingo, 14 de maio de 2017

ANISOTA VIRGINIENSIS - (Drury, 1773)


. Características: Esta borboleta nocturna pertence á família dos Saturnídeos (Saturniidae), e possui um leve dimorfismo sexual. Assim o macho possui asas de cor castanho-violáceo, com uma pinta branca no centro de cada asa anterior, nas quais possui uma pequena áerea transparente. O seu corpo é felpudo e castanho. A fêmea possui asas castanho-ocre, com uma faixa transversal rosa-púrpura nas asas anteriores que atravessa o centro das asas até ás extremidades. Possui de igual forma uma pinta branca no centro de cada asa anterior. O seu corpo é amarelo ocre, sendo esta maior que o macho. A sua envergadura varia entre os 4,5 e os 6,5 cm de comprimento.


. Habitat: Habita florestas de folha caduca onde existam carvalhos, bem como parques, e zonas arborizadas. Distribui-se por todo o Este dos E.U.A.

. Período de voo: Voa de Junho a Julho numa geração nas regiões mais a Norte, e de Maio a Setembro em duas gerações nas regiões mais a Sul. O tempo de vida da borboleta é relativamente curto, cerca de 10 a 12 dias, tempo esse gasto exclusivamente para encontrar parceiro e reproduzir-se para continuação da espécie.











. Alimentação: As lagartas são gregárias vivendo em grupos nos primeiros estágios de vida, quando chegam ao último instar, começam-se a isolar e procuram um lugar para pupar. São de cor verde-acastanhado, pontilhadas com minúsculos grânulos de cor branca e curtos espinhos pretos sobre a pele. Apresentam ainda duas listras de cor rosada na zona lateral do corpo e dois longos espinhos pretos no primeiro segmento a seguir á cabeça. Alimentam-se de folhas de várias espécies de carvalhos (Quercus). Na fase da metamorfose descem até ao solo, onde procuram um local para pupar, normalmente enterram-se no subsolo. A última geração nas regiões mais a Sul hiberna no estado de pupa, para emergirem na Primavera seguinte.








. Observação importante: Como todos os Saturnídeos esta espécie também não se alimenta no estado adulto devido a possuir um aparelho bucal rudimentar. Por isso, vai gastando as reservas de energia acumuladas no seu organismo enquanto era lagarta. Existem cerca de 13 espécies do género Anisota. 

video