Este blog é dedicado a todos os amantes da Natureza e ao público em geral. Mas principalmente aqueles que se interessam pelo fascinante mundo dos Lepidópteros (Borboletas). Além de tudo, este blog é um guia onde o leitor poderá conhecer e identificar as mais variadas espécies de borboletas existentes um pouco por todo o mundo.

domingo, 19 de novembro de 2017

EANTIS THRASO - (Hubner, 1807)



. Características: Esta pequena borboleta pertence á família Hesperiidae. Possui uma cabeça grande e um corpo grosso e robusto, típico desta família de lepidópteros. As asas anteriores possuem um recorte ondulado junto ao ápice, sendo estas de cor castanho-escuro com reflexos arroxeados e pequenas manchas castanho-claras ou acinzentadas no caso dos machos. As fêmeas são castanhas sem o brilho arroxeado. A sua envergadura varia entre os 3,5 e os 4,5 cm de comprimento.



. Habitat: Habita clareiras e orlas de florestas, bem como margens de caminhos estradas, margens de rios, jardins etc. Os machos costumam pousar na folhagem da vegetação com as asas abertas ou semiabertas á espera  de uma potencial parceira. Outras vezes pousam e abrigam-se debaixo das folhas em dias sem sol e durante a noite. Também têm por hábito pousar em locais lamacentos para absorverem os sais minerais. Distribui-se desde o Sul do Texas, México na América Central e alguns países da América do Sul como a Argentina.


. Período de voo: Ao longo do ano em várias gerações.
























. Alimentação: A lagarta tem forma de fuso e é verde-escura translúcida com duas linhas amarelas na zona lateral do dorso. A cabeça é em forma de coração e de cor preta quando jovem, tornando-se mais tarde de cor castanho-clara. Tem por hábito esconder-se dentro duma folha enrolando-a e tecendo alguns fios de seda. Alimenta-se de plantas da família Rutaceae como Citrus, Zanthoxylum fagara ou Z. monophyllum. Na fase da metamorfose tece uma cinta de seda á sua volta onde se prende a uma folha da planta hospedeira para se transformar em crisálida.















  



. Observação importante: A crisálida é coberta por uma secreção serosa de cor verde-pálida. Existem 5 subespécies deste género.




domingo, 12 de novembro de 2017

MELANIS PIXE SANGUINEA - (Stichel, 1910)


. Características: Esta pequena borboleta pertence á família Riodinidae. As suas asas são de cor negro-aveludado, com duas pintas vermelho-vivo na área central interna das asas anteriores e posteriores. Apresenta também uma mancha de cor laranja na extremidade da zona apical das asas anteriores, e uma fileira de manchas de cor vermelho-vivo nas extremidades de ambas as asas. A face inferior é idêntica á superior. O seu abdómen apresenta também vários segmentos de cor vermelha na zona lateral. Ambos os sexos são idênticos e a sua envergadura varia entre os 4 e os 4,5 cm de comprimento.


. Habitat: Habita locais com cursos de água como rios e riachos, e onde exista as suas plantas hospedeiras. Distribui-se pela América Central, principalmente no México, Costa Rica e Panamá.

. Período de voo: Voa ao longo de todo o ano, de Janeiro a Novembro, em várias gerações. Quando pousa na vegetação sem ser para se alimentar tem por hábito esconder-se na parte inferior das folhas.















. Alimentação: As lagartas quando nascem são de tons esverdeados e á medida que vão crescendo vão adquirindo várias tonalidades de cor, tornando-se brancas com longos e finos pelos, com listras amarelas e pretas sobre a zona dorsal, as quais á medida que se vai aproximando a altura de pupar estas adquirem um tom laranja-avermelhado. Alimentam-se de plantas como Albizia caribea, Pithecellobium spp e Inga ssp da família Fabaceae. Na fase da metamorfose tece uma cinta de seda á sua volta onde se prende á planta hospedeira. para se transformar em crisálida.











. Observação importante: Existem cerca de 27 espécies do género Melanis.





domingo, 29 de outubro de 2017

APODEMIA VIRGULTI - (Behr, 1865)


. Características: Esta pequena borboleta pertence á família Riodinidae. A face superior das suas asas tem como cor de fundo o castanho-escuro, com a área central de cor laranja e pequenas manchas brancas dispersas contornadas a preto. A face inferior é idêntica, no entanto, as asas posteriores não possuem a área com cor laranja. Ambos os sexos são idênticos, sendo a fêmea ligeiramente maior. A sua envergadura varia entre os 2 e os 2,5 cm de comprimento.


. Habitat: Habita regiões desérticas e áridas de vegetação rasteira onde exista a sua planta hospedeira, zonas costeiras ou encostas rochosas. Distribui-se pela costa oeste da América do Norte, principalmente na Califórnia e norte do México.

. Período de voo: Voa desde Março a Setembro em duas gerações, podendo ocorrer por vezes uma terceira geração tardia na qual o Inverno é passado no estado de lagarta.










. Alimentação: As lagartas são de cor castanho-púrpura com pintas pretas e amarelas, revestidas de pequenos espinhos acastanhados dos quais saem longos e finos pelos brancos. Durante o dia constroem pequenos abrigos unindo as folhas com fios de seda para se esconderem, saindo á noite para se alimentarem. Alimentam-se de Eriogonum fasciculatum, planta da família Polygonaceae. As lagartas jovens da última geração hibernam dentro de certas partes da planta hospedeira.




. Observação importante: É uma espécie considerada vulnerável, isto quer dizer que está em declínio, estando a sofrer um risco elevado de extinção na natureza. Isto deve-se em grande parte á destruição do seu habitat provocado pelo desenvolvimento urbanístico.