Este blog é dedicado a todos os amantes da Natureza e ao público em geral. Mas principalmente aqueles que se interessam pelo fascinante mundo dos Lepidópteros (Borboletas). Além de tudo, este blog é um guia onde o leitor poderá conhecer e identificar as mais variadas espécies de borboletas existentes um pouco por todo o mundo.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

FELIZ NATAL E UM PRÓSPERO ANO NOVO



Desejo a todos os seguidores do blogue e ao público em geral
Um Santo Natal e um Próspero Ano Novo
Com os votos de que o ano que se aproxima
Os líderes mundiais tragam Paz e Segurança para com os povos do mundo






domingo, 18 de dezembro de 2016

POLYTHYSANA CINERASCENS - (Philippi, 1859)



. Características: Também conhecida vulgarmente por "borboleta-de-quatro-olhos", esta vistosa borboleta nocturna pertence á família dos Saturnídeos (Saturniidae). Os machos desta espécie são mais pequenos em relação ás fêmeas e as suas asas anteriores são manchadas de castanho-negro amarelado acinzentado e branco, apresentando duas linhas transversais onduladas de cor negra, uma ao centro e outra junto ás margens. Apresentam também quatro ocelos grandes com núcleo branco,  dois nas asas anteriores e outros dois nas posteriores, os quais são rosa-avermelhados com núcleo branco e marginados de negro. As asas posteriores são amarelo-rosadas com uma fina faixa ondulada de cor negra que separa a zona marginal. Os machos possuem antenas plumosas, enquanto as fêmeas possuem antenas pectinadas mais finas. As fêmeas por sua vez são maiores do que os machos e menos coloridas. A sua envergadura varia entre os 8-8,5 cm nos machos e os 10,5 cm nas fêmeas.



. Habitat: É uma espécie endémica do Chile. Podendo ser encontrada em zonas florestais, quintas e pomares.

. Período de voo: Voa de Fevereiro a Abril numa primeira geração, enquanto a segunda geração vai de Setembro a Novembro. Os machos são mais activos durante a manhã, enquanto as fêmeas são activas á noite. Por isso, o acasalamento ocorre geralmente durante o amanhecer, no período em que as fêmeas se recolhem para repousar, e os machos ficam mais activos para procurarem parceiras utilizando as suas antenas plumosas para detectarem as feromonas libertadas por elas.



















. Alimentação: As lagartas nos últimos instares são de cor castanho-acinzentadas, com vários filamentos ramificados de pelos ou cerdas levemente curvadas e de cor rosada, em toda a sua periferia lateral do corpo e cabeça, e que lhe dão um aspecto achatado e dissimulado sobre a vegetação. No primeiro e segundo segmento do corpo a seguir á cabeça possui duas pequenas manchas pretas, com pequenos tufos de cerdas amarelas. Alimentam-se de vários tipos de árvores entre as quais; Lithraea caustica. Na fase da metamorfose constrói um frágil casulo de seda em forma de rede, entre a folhagem das árvores.









. Observação importante: Como todos os Saturnídeos, esta espécie também não se alimenta no estado adulto, sobrevivendo assim com as reservas acumuladas no seu organismo enquanto era lagarta. Por isso, o seu tempo de vida é relativamente curto, cerca de uma ou duas semanas, tempo esse unicamente gasto para encontrar parceiro e se reproduzir.







domingo, 11 de dezembro de 2016

AGARISTA AGRICOLA - (Donavan, 1805)


. Características: Esta colorida borboleta nocturna pertence á família dos Noctuídeos (Noctuidae). As suas asas são negras com pintas e manchas vermelhas, amarelas, azuis e brancas. A fêmea diferencia-se do macho por ser maior e possuir a mancha branca que vai do tórax á base das asas anteriores mais larga. A sua envergadura varia entre os 5 cm nos machos e os 7 cm nas fêmeas.


. Habitat: Habita clareiras e orlas de florestas, bem como terrenos cultivados com vinhas. Distribui-se pelo Norte da Austrália e Pápua-Nova Guiné.

. Período de voo: Voa de Dezembro a Fevereiro na Austrália, sendo que em Pápua-Nova Guiné pode ser avistada ao longo de todo o ano em várias gerações. É activa durante o dia.






. Alimentação: A lagarta é branca com anéis negros, destacando-se dois anéis de cor laranja, um a meio do corpo e outro no penúltimo segmento do corpo. As patas e a cabeça são igualmente de cor laranja. Possui ainda longas cerdas pretas em forma de espátulas espalhadas pelo corpo. Alimenta-se das folhas de vários tipos de videiras da família Vitaceae. Na fase que antecede a pupação a lagarta torna-se de cor laranja e negra, e começa a procurar um sítio para pupar, que normalmente fica no tronco ou galho da videira, onde a lagarta constrói um casulo coberto por pequeninos pedaços de casca da videira que ela própria tritura.










. Observação importante: Quando está em repouso é comum vê-la pousada num tronco ou outra superfície de cabeça para baixo. Por ser activa durante o dia e devido ao seu padrão colorido, pode ser confundida com uma borboleta diurna.

video






domingo, 4 de dezembro de 2016

PAYSANDISIA ARCHON - (Burmeister, 1880)


. Características: Também conhecida por "borboleta-das-palmeiras", esta borboleta nocturna pertence á família Castniidae. As suas asas anteriores são castanho-esverdeadas, enquanto as posteriores ostentam um colorido mais atractivo, sendo laranja com uma larga faixa de manchas brancas e negras. Possui um corpo robusto e antenas clavadas semelhantes ás antenas das borboletas diurnas. Ambos os sexos são idênticos, no entanto a fêmea é maior que o macho é reconhecível pelo seu proeminente ovipositor. A sua envergadura varia entre os 9 cm nos machos e os 11 cm nas fêmeas.


. Habitat: Distribui-se pela América do Sul, em particular pela Argentina, Uruguai, Paraguai e Sudeste do Brasil. Habita zonas costeiras e locais onde hajam palmeiras. Foi acidentalmente introduzida na Europa no início dos anos 90, onde se está a espalhar rapidamente tornando-se uma praga para as palmeiras de jardim.

. Período de voo: Voa desde Maio até Outubro, mas o seu pico de abundância vai desde Junho a Julho. Por ser activa durante o dia e por possuir asas coloridas, é facilmente confundida com uma borboleta diurna.










Alimentação: As lagartas são brancas e alimentam-se dentro dos caules e troncos das palmeiras escavando galerias com as suas fortes mandíbulas. Na fase da metamorfose aproximam-se do exterior da galeria para puparem num casulo feito de fibras da palmeira, facilitando assim a saída do adulto para o exterior. Alimentam-se de várias espécies de palmeiras.





. Observação importante: Foi acidentalmente introduzida na Europa no início dos anos 90, onde se está a espalhar rapidamente tornando-se uma praga para as palmeiras de jardim. Activa durante o dia e por possuir asas coloridas, é facilmente confundida com uma borboleta diurna.

video






domingo, 27 de novembro de 2016

EURRANTHIS PLUMMISTARIA - (Villers, 1789)



. Características: Esta pequena borboleta nocturna pertence á família dos Geometrídeos (Geometridae). As asas anteriores são branco-amareladas sarapintadas de manchas e listras pretas. As asas posteriores são amarelo-alaranjadas igualmente salpicadas de pintas e listras pretas. O macho diferencia-se da fêmea por possuir antenas plumosas, enquanto a fêmea possui antenas filiformes e possui um tom mais alaranjado. A sua envergadura varia entre os 3,7 e os 4 cm de comprimento.



. Habitat: Habita clareiras e orlas de florestas, matagais, campos e encostas rochosas, até aos 1000 metros de altitude. Em toda a Península Ibérica, desde Portugal, Espanha, Alpes franceses e Itália.

. Período de voo: Voa de Março a Junho numa primeira geração, sendo a segunda geração parcial de Agosto a Setembro, onde a pupa hiberna. Além de pertencer ao grupo das borboletas nocturnas, esta é activa durante o dia.






















. Alimentação: A lagarta é castanha com uma linha branca e outra tracejada de cor preta de cada lado do corpo, e pequenas pintas pretas e laranja espalhadas pelo corpo. Alimenta-se de plantas do género Dorycnium principalmente de Dorycnium pentaphyllum.







. Observação importante: Embora seja abundante em alguns locais isolados e de difícil acesso, está-se a tornar rara noutros pontos onde o seu habitat está a desaparecer para dar lugar a campos agrícolas, construções urbanas etc.