Este blog é dedicado a todos os amantes da Natureza e ao público em geral. Mas principalmente aqueles que se interessam pelo fascinante mundo dos Lepidópteros (Borboletas). Além de tudo, este blog é um guia onde o leitor poderá conhecer e identificar as mais variadas espécies de borboletas existentes um pouco por todo o mundo.

domingo, 29 de novembro de 2015

ORNITHOPTERA PRIAMUS - (Linnaeus, 1758)


. Características: Esta belíssima "esmeralda voadora" pertence á família dos Papilionídeos (Papilionidae), e está entre as maiores, mais exóticas e mais belas borboletas do mundo. É uma espécie que possui dimorfismo sexual, ou seja, existem diferenças acentuadas entre os dois sexos. Assim, os machos desta espécie possuem um belo verde-esmeralda iridescente, com duas grandes manchas oblíquas nas asas anteriores, enquanto nas asas posteriores possuem três ou quatro pintas pretas num fundo verde e franjas douradas na margem interna das asas, por onde exalam odores durante o cortejamento das fêmeas. A face inferior é negra com manchas verdes-azuladas e amarelas e nervuras pretas. O seu abdómen é amarelo-vivo e possui uma mancha avermelhada na zona lateral do tórax. As fêmeas por sua vez, são maiores que os machos e menos coloridas, possuindo asas castanho-escuras com pequenas manchas esbranquiçadas. Nas asas posteriores estas manchas são amareladas com pintas negras no seu centro. A face inferior é idêntica á superior. A sua envergadura varia entre os 15 cm nos machos e 20 cm nas fêmeas. Existe uma grande variedade de subespécies deste grupo, com padrões que vão desde o verde, dourado, passando pelo laranja e o azul.


. Habitat: Habita as florestas tropicais da Nova Guiné, Ilhas Molucas e Norte de Austrália, até aos 800 metros de altitude.

. Período de voo: Pode ser vista em maior número entre os meses de Dezembro até Maio. Os machos são territoriais e podem ser vistos ao longo das margens dos rios ou nas clareiras das florestas, a patrulhar o seu território defendendo-o de possíveis rivais ou procurando por fêmeas.















. Alimentação: A lagarta é castanho-escura quase negra, apresentando numerosos tubérculos carnudos pontiagudos, que são de cor vermelha nas pontas, possuindo também dois tubérculos de cor branco a meio do corpo. Como todos os Papilionídeos, apresenta um órgão bifurcado chamado de osmeterium logo atrás da cabeça, que faz sobressair sempre que se sente ameaçada. Alimenta-se de plantas da família das Aristolochiaceae como; Aristolochia acuminata, Aristolochia clematitis, Aristolochia deltantha, Aristolochia dielsiana, Aristolochia griffithii, Aristolochia indica, Aristolochia kaempheri, Aristolochia praevenosa, Aristolochia schlechteri, Aristolochia tagala. Na fase da metamorfose a lagarta tece uma cinta de seda onde se prende á planta hospedeira para se transformar em crisálida.









. Observação importante: Como outras subespécies do género ornithoptera, esta também é uma espécie ameaçada ou vulnerável, tanto pela perda do habitat como pela captura e venda ilegal. Agora é uma espécie protegida e está listada no Apêndice II da CITES (Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas de Fauna e Flora Selvagens).


video





Sem comentários:

Enviar um comentário