Este blog é dedicado a todos os amantes da Natureza e ao público em geral. Mas principalmente aqueles que se interessam pelo fascinante mundo dos Lepidópteros (Borboletas). Além de tudo, este blog é um guia onde o leitor poderá conhecer e identificar as mais variadas espécies de borboletas existentes um pouco por todo o mundo.

domingo, 26 de julho de 2015

CALYPTRA THALICTRI - (Borkhausen, 1790)



. Características: Também conhecida por «Borboleta-Vampiro» ou «Traça-Vampiro», esta borboleta nocturna pertence á família dos Noctuídeos (Noctuidae). As suas asas anteriores são acastanhadas e recortadas desde a sua base interior, possuindo uma linha obliqua em forma de nervura acentuada que atravessa o centro das asas até ao seu ápice, e que lhe dá um aspecto de folha seca. As asas posteriores são beges. Ambos os sexos são idênticos, e os machos possuem as antenas pectinadas. A sua envergadura varia entre os 4 cm e os 4,7 cm de comprimento.



. Habitat: Encontra-se em clareiras e orlas de florestas, encostas rochosas, pastagens etc. No Centro e Sul da Europa, grande parte da Ásia temperada até ao Japão.


. Período de voo: Voa desde Maio até Setembro, dependendo da sua localização.












Alimentação: As lagartas podem apresentar duas variantes de cor, podendo ser verdes com uma fila de pequenos pontos pretos ao longo da zona lateral do dorso, e mais duas pintas negras na cabeça. Ou então, podem ser brancas com uma faixa negra ao longo do dorso e várias pintas negras na zona lateral do corpo. A cabeça é amarela com duas pintas negras. Alimenta-se de Thalictrum spp. Na fase da metamorfose transforma-se em crisálida no solo.








. Observação importante: Um grupo de cientistas descobriu em 2006 na Rússia, que esta espécie de borboleta não se alimenta só de frutas como eles pensavam. Quando o grupo de entomologistas estudava esta espécie e foi oferecido um dedo humano, o macho da borboleta inseriu a sua língua com forma de gancho serrilhado na ponta e começou a perfurar a pele e a sugar o sangue para sua surpresa. O curioso é que a transição entre as suas dietas parece ser um comportamento recente e exclusivo do macho. Quando o macho se alimenta de sangue, ele pode passar o teor de sal obtido juntamente com outros nutrientes a partir do líquido para as fêmeas durante o acasalamento, proporcionando assim uma melhor nutrição e genes para as futuras lagartas.






. Nesta imagem pode-se ver o Probóscide (aparelho bocal) modificado na ponta, serrilhado, que utiliza para perfurar a pele.



. Nesta imagem o Probóscide (aparelho bucal) é fotografado através dum microscópio, revelando pormenores surpreendentes.


Esta descoberta é um passo importante na história evolutiva e adaptações destas criaturas. Os morcegos vampiros que também se alimentam de sangue, contêm substâncias na sua saliva que funcionam como anti-coagulantes, fazendo com que o sangue da vítima flua livremente não o deixando coagular. Estas substâncias têm potenciais aplicações no tratamento de derrames. Deduzindo isto, as borboletas-vampiro poderiam ser úteis em outras aplicações científicas...



video


video





domingo, 19 de julho de 2015

JARDIM DE BORBOLETAS



Um ser que rastejou, rastejou,
com o milagre da metamorfose, 
criou asas e voou, 
agradecendo á Mãe Natureza,
com cores, beleza e dedicação,
poliniza as flores,
com carinho e delicadeza,
obrigado queridas borboletas,
do fundo do meu coração







domingo, 12 de julho de 2015

RHODOMETRA SACRARIA - (Linnaeus, 1767)



. Características: De aspecto inconfundível, esta pequena borboleta nocturna pertence á família dos Geometrídeos (Geometridae). As suas asas são de cor amarelada ou creme, com uma risca de cor rosa que atravessa as asas anteriores na diagonal até ao seu ápice. As posteriores são esbranquiçadas. As fêmeas possuem uma coloração mais pálida, enquanto os machos possuem antenas pectinadas. De salientar que a sua pigmentação rosada pode variar de intensidade de indivíduo para indivíduo. A sua envergadura é de 2,5 cm a 2,8 cm de comprimento.



. Habitat: Vive em lugares quentes e secos, clareiras e orlas de florestas, matagais e pastagens de ervas secas. Em toda a Europa, África e grande parte da Ásia.


. Período de voo: De Abril a Outubro em várias gerações.









. Alimentação: A lagarta pode apresentar várias tonalidades de cor dependendo do habitat em que se encontra. Pode ser verde com marcas castanho-avermelhadas ao longo do dorso, castanho-claro com marcas e traços castanho-escuro, ou castanho-acinzentada. É esguia e comprida, assemelhando-se a um pequeno pau, ficando assim perfeitamente camuflada no seu habitat. Alimenta-se de várias plantas entre as quais; Polygonum, Taraxacum offcinale, Rumex, Anthemis, Emex, Oxygonum sinuatum, entre ouras. A lagarta transforma-se em crisálida no solo. A última geração hiberna como crisálida.








. Observação importante: Quando está em repouso adopta uma postura (côncava), com a cabeça inclinada para baixo, fazendo lembrar uma estátua ou figura religiosa, daí o seu nome (Sacraria). Á noite é atraída pela luz artificial.



video




domingo, 5 de julho de 2015

LEPTOTES PIRITHOUS - (Linnaeus, 1767)



. Características: Esta pequena borboleta diurna pertence á família dos Licenídeos (Lycaenidae). A face superior das suas asas são azul-púrpura nos machos, enquanto nas fêmeas são castanho-azuladas na zona interna, possuindo três ou quatro pintas escuras no centro das asas anteriores. A face inferior são castanho-claras, listradas com várias linhas onduladas de cor esbranquiçada. Apresenta ainda um pequeno ocelo negro rodeado por uma linha de cor laranja junto a duas pequenas caudas alares. As fêmeas são ligeiramente maiores do que os machos, e a sua envergadura varia entre os 2,5 cm e os 3 cm de comprimento.



. Habitat: Pode ser encontrada em vários tipos de habitat, mas de preferência em zonas abertas e soalheiras. Prados floridos, campos com trevo, parques e jardins, zonas com cursos de água etc. Por vezes pode ser vista em pequenos grupos pousadas no solo húmido a sugar os sais minerais, e a esfregar as asas uma na outra. No Centro e Sul da Europa, Médio Oriente até á Índia e Norte de África. Até aos 1600 metros de altitude.


. Período de voo: De Fevereiro até Outubro, em várias gerações. É uma espécie migratória.











. Alimentação: A lagarta é de coloração variável podendo ser verde, amarelada, verde-violácea, com pequenas riscas de cor esbranquiçadas na diagonal ao longo do dorso. O seu aspecto é rechonchudo, típico da família dos Licenídeos. Alimenta-se de várias plantas entre as quais; Melilotus officinalis, Melilotus albus, Lythrum salicaria, Polygonum aviculare, Genista sp, Ulex minor, Calluna vulgaris, entre outras. Na fase da metamorfose a lagarta transforma-se em crisálida fixando-se na planta hospedeira ou no solo. Hiberna no estado de lagarta ou crisálida.








. Observação importante: Por vezes, á primeira vista, pode ser confundida com outras espécies semelhantes como a Lampides Lampides e a Cacyreus marshalli.




video