Este blog é dedicado a todos os amantes da Natureza e ao público em geral. Mas principalmente aqueles que se interessam pelo fascinante mundo dos Lepidópteros (Borboletas). Além de tudo, este blog é um guia onde o leitor poderá conhecer e identificar as mais variadas espécies de borboletas existentes um pouco por todo o mundo.

domingo, 28 de setembro de 2014

SMERINTHUS OCELATTA - (Linnaeus, 1758)


. Características: Como todas as borboletas da sua família, possui asas compridas e estreitas e corpo robusto típico dos Esfingídeos (Sphingidae). É uma borboleta grande e vistosa. As suas asas anteriores possuem desenhos e manchas castanho-acinzentadas. As posteriores são de cor ocre e vermelho-rosado, com dois ocelos em forma de «olhos» bordejados de negro. Ambos os sexos são idênticos. A fêmea é ligeiramente maior que o macho, e a sua envergadura pode variar entre os 7 cm e os 8,7 cm de comprimento.



. Habitat: Margens de rios, várzeas, pomares, parques e planícies com Álamos e Salgueiros. Em toda a Europa e Ásia.


. Período de voo: Desde Maio a Julho numa geração. Em anos favoráveis pode desenvolver-se uma segunda geração incompleta, ficando a crisálida em estado de hibernação, nascendo só na Primavera seguinte.










. Alimentação: A lagarta é vede pontuada de minúsculos pontos brancos, e com várias linhas brancas transversais, paralelas. Na extremidade do corpo possui uma espécie de cornicho mais ou menos curvo, típico desta família. Dificilmente se descobre quando está parada nos ramos das árvores. Alimenta-se principalmente de Salgueiro (Salix) e Macieira (Malus). No entanto, quando há falta destas, pode alimentar-se também de Choupo (Populus), Bétula, Amieiro (Alnus) etc.
Para se transformar em crisálida escava um buraco no solo, onde o forra com uma leve película de seda, que a vai separar do meio envolvente. A crisálida hiberna.






. Observação importante: Quando a borboleta se encontra em posição de repouso, é difícil de localizar, pois apresenta uma camuflagem que a torna «invisível» aos lhos dos predadores. Mas se esta estratégia de sobrevivência falha, possui outro truque: os ocelos das asas posteriores, tapam e destapam alternadamente, dando a ilusão ao predador de estar perante um enorme animal a "piscar" os olhos, aproveitando assim para fugir.






video





Sem comentários:

Enviar um comentário